mulher sorrindo
Maurício Borges / Arquivo Pessoal
Maria Glória tinha 25 anos

Um laudo necroscópico do Instituto Médico Legal ( IML ) do Paraná detectou que a bailarina Maria Glória, encontrada morta em área rural da cidade de Mandaguari no último dia 25, sofreu violência sexual na ocasião em que foi morta por asfixia.

Maria Glória fazia uma trilha na região da cachoeira em que foi encontrada com intuito de se conectar com a natureza e rezar. A família, que tinha a deixado no lugar, desconfiou da falta de contato de Maria Glória e voltou ao local no dia seguinte.

Leia também: Polícia prende pastor por estupro de menina de 12 anos em Alagoas

A irmã da vítima encontrou o corpo, que tinha marcas indicando a tentativa de defesa da mulher. Além de bailarina , ela era estudante universitária e trabalhava como professora de capoeira.

O material genético encontrado nas evidências do estupro foram encaminhados a laboratório e devem ajudar na busca do suspeito do crime. Até o momento, 13 pessoas foram ouvidas. O material genético de alguma delas foi coletado

    Veja Também

      Mostrar mais