Marcelo Crivella arrow-options
Marcos Oliveira/Agência Senado - 26.5.2015
Marcelo Crivella é o atual prefeito do Rio e ex-cantor gospel.

Convidado pelo prefeito do Rio Marcelo Crivella (PRB) para uma cerimônia no Palácio da Cidade, na Zona Sul do Rio, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assistiu a uma apresentação que incluiu uma música gospel escrita pelo próprio Crivella. A performance de " Aleluia (Nossa Luta Continua)" foi conduzida pela Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca, grupo formado pela prefeitura de Crivella com alunos da rede municipal de ensino.

Leia mais: Nova Vaza Jato demonstra lobby entre jornalistas e procuradores

A canção foi ouvida já nos momentos finais da cerimônia, iniciada por volta das 10h nesta segunda-feira (20). A imprensa aguardava o presidente Jair Bolsonaro no andar térreo do Palácio da Cidade — a cerimônia acontecia no segundo andar, e reunia também lideranças evangélicas e integrantes do secretariado de Crivella . Pouco depois, após o fim do evento, Bolsonaro deixou o Palácio da Cidade sem falar com a imprensa.

A Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca faz parte do programa Orquestra nas Escolas, lançado em 2017, já sob a gestão de Crivella, e vinculada à Secretaria Municipal de Educação. Segundo a prefeitura, o programa alcança 11 mil alunos da rede municipal — a meta é chegar a 20 mil neste ano.

O lançamento de "Aleluia (Nossa Luta Continua)" foi registrado no Ecad em 1º de abril de 1999. Além de Crivella, que é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, também assinam a composição o cantor Michael Sullivan — nome artístico de Ivanilton de Souza Lima — e Zenith Barbosa Plopschi.

A letra da canção entoada pelos alunos da rede municipal do Rio fala que há uma palavra que "traduz um sentimento puro, santo e verdadeiro". "Mesmo a vida sendo dura, no momento de amargura, Deus, eu canto aleluia", conclui a música de autoria de Crivella.

O prefeito do Rio, que busca o apoio de Bolsonaro para sua campanha pela reeleição neste ano, também convidou lideranças evangélicas para a cerimônia desta segunda-feira no Palácio da Cidade. Um dos presentes foi o pastor Josué Valandro Jr., líder da Igreja Batista Atitude, frequentada pela primeira-dama Michelle Bolsonaro no Rio. Próximo à família Bolsonaro, Valandro já acompanhou o presidente em eventos variados, desde a posse em 1º de janeiro do ano passado até o jogo entre Flamengo e Avaí, no Maracanã, em dezembro.

Também estiveram presentes nomes como o do Missionário R.R. Soares, líder da Igreja Internacional da Graça de Deus, e o deputado federal Ezequiel Teixeira (Podemos-RJ), membro da bancada evangélica da Câmara. Teixeira. Autor de um projeto de lei em prol da "cura gay", Teixeira chegou a ser secretário estadual de Direitos Humanos do Rio no governo de Luiz Fernando Pezão.

Leia também: Deputada do PSL defende piada com morte de Marielle: "Livre expressão"

Após o encontro, Crivella destacou a "afinidade" de Bolsonaro com os líderes evangélicos, mas negou que tenha conversado sobre um eventual apoio eleitoral nesta segunda-feira (20). "Não falamos de política. Conversamos sobre assuntos de interesse do povo", disse Crivella .

Embora oficialmente não se tenha falado de política na cerimônia, o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ), líder da igreja Assembleia de Deus Missão Vida, não compareceu ao encontro de Crivella e lideranças evangélicas nesta segunda. Otoni também busca o apoio de Bolsonaro na eleição à prefeitura do Rio. "Seria indelicado (comparecer)", disse Otoni ao GLOBO.

    Veja Também

      Mostrar mais