Tamanho do texto

Jovem foi levada para o Hospital Santa Tereza, em Petrópolis; suspeita é que casa, que pegou fogo depois de raio, tenha sido atingida por um raio

raio caindo em casa arrow-options
Rodrigo Soldon/Flickr
Raio atingiu e incendiou casa [imagem ilustativa]

Uma adolescente de 14 anos ficou ferida durante a forte chuva que atingiu Petrópolis, município da Região Serrana do Rio, nesta quarta-feira (8). A menina sofreu uma descarga elétrica. A suspeita é de que a casa dela, no bairro Atílio Marotti, tenha sido atingida por um raio, o que provocou um princípio de incêndio.

A garota foi socorrida por equipes do Corpo de Bombeiros e levada para o Hospital Santa Teresa, também em Petrópolis. De acordo com os bombeiros, na ocasião o quadro da vítima inspirava cuidados. Ainda não há informações atualizadas sobre o estado de saúde da adolescente.

Leia também: Mulher desaparece após ser arrastada pela correnteza durante chuva em São Paulo

A forte chuva que atingiu Petrópolis deixou um rastro de destruição na cidade. Ruas ficaram alagadas em diferentes pontos, inclusive com carros sendo arrastados. Os bairros Bingen e Quitandinha estão entre os mais atingidos.

De acordo com o último boletim da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, divulgado às 17h50 desta quarta-feira, foram registradas 45 ocorrências por conta de uma pancada de 90 milímetros de chuva em menos de uma hora nesta tarde em Petrópolis: quase nove vezes mais que o esperado para o dia de hoje, informou o órgão.

Leia também: 'Surfista de enchente' viraliza após temporal em brincadeira perigosa; assista 

'Surfista de enchente'

Entre registros de carros sendo arrastados pela correnteza e pessoas ilhadas sendo resgatadas em barcos pelo Corpo de Bombeiros, uma atitude inusitada e perigosa de dois homens conseguiu chamar ainda mais atenção dos moradores de Petrópolis — um homem resolveu vestir sua roupa de surfista, colocar a prancha debaixo do braço e sair pela cidade alagada amarrado na moto de um colega. Resultado: a dupla foi filmada pelas ruas da cidade histórica caindo por todos os lados.

"Eu estava na minha varanda, quando a rua começou a encher muito. Foi quando vi uma moto chegando, com o surfista na garupa. Ele estava com roupa de neoprene, prancha debaixo do braço e tudo que tem direito. Eu não acreditei no que eu estava vendo", conta Vítor de Paiva, de 27 anos. Morador da Rua Saldanha Marinho, ele foi um dos primeiros a notar a iniciativa inesperada dos dois homens.