Recife
Reprodução/TV Globo
Segundo informações, estouro de cano pode ter causado a tragédia

Sob um clima de tristeza, foram enterradas nesta quarta-feira (25), no Recife, seis das sete vítimas que morreram na madrugada da véspera de Natal (24), em decorrência do deslizamento de uma barreira no bairro de Dois Unidos, na zona norte da capital pernambucana.

Leia também: Weintraub compartilha crítica a Bolsonaro por 'juiz de garantia'

Daffyne Kauane, 9 anos, e sua avó Lucimar Alves, 50, e Cláudia Bezerra, 45 e Emanuel Henrique de França, 25, foram sepultados no Cemitério de Santo Amaro, no centro da cidade.

Já a mulher de Emanuel, Érika Virgínia, 19, e seu filho, o pequeno Érick Júnior, foram sepultados no município de Palmares, na Zona da Mata Sul. A sétima vítima, Lia de Oliveira, 45, será enterrada no Maranhão.

Investigação

Equipes do governo de Pernambuco e especialistas técnicos estão apurando as causas do deslizamento de terra que matou sete pessoas e feriu três no bairro de Dois Unidos, no Recife. Eles vão auxiliar a Polícia Civil, que abriu inquérito para apurar a suspeita de que o rompimento de tubulações da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) tenha provocado a tragédia.

Nesta quarta-feira (25) a prefeitura do Recife divulgou nota na qual esclarece que uma obra de contenção não teria evitado o deslizamento de barreira que causou a tragédia na madrugada da véspera de Natal.

Leia também: Bolsonaro acredita em operação de busca e apreensão contra outro filho

"As obras de contenção têm o objetivo de evitar deslizamentos causados pela chuva, quando a água vem de fora do terreno. O caso do deslizamento da terça-feira (24) é diferente, a água veio de dentro da barreira, uma obra de contenção não teria evitado o acidente. O local do deslizamento não era considerado de alto risco para acidente causado por chuva", ressaltou a prefeitura.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários