Ministro da Educação Abraham Weintraub
Arquivo/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Ministro da Educação Abraham Weintraub

Um homem e uma mulher disseram ter sido agredidos após sair de um debate sobre o Escola Sem Partido na faculdade de direito da USP, em São Paulo, na noite desta segunda-feira (14). O ministro da Educação, Abraham Weintraub, comentou o ocorrido nesta manhã e disse ter "nojo de nazistas". 

"Tenho NOJO de nazistas! A USP é de TODOS, sendo paga com o ICMS dos Paulistas! Esse episódio me lembra a lista que fizeram para marcar os calouros judeus, evangélicos e liberais! Dado que a bandeira deles já é vermelha, coloquem logo uma suástica e gritem: SIEG HEIL! HEIL LULA!", escreveu Weintraub ao compartilhar uma publicação sobre o caso em sua conta do Twitter, nesta terça-feira (15). 



Você viu?

André Almeida e uma mulher que não foi identificada, integrandes do movimento conservador, afirmam ter saído da universidade durante o debate do  Escola Sem Partido  para ir a uma lanchonete, quando um grupo de 4 ou 5 pessoas começou a agredi-los com socos e chutes. 

Para falar a favor do Escola Sem Partido, estavam presentes Miguel Nagib, criador do projeto, e o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP). Para falar contra, Gustavo Bambini e Nina Ranieri, ambos professores da USP. 

Leia também: Enem na boca dos governantes: o que Bolsonaro e ministros disseram sobre a prova

André diz acreditar que um dos suspeitos seja estudante da universidade. “Eu vi aqui. Reconheço ele se eu vir", afirmou à Folha de S.Paulo . No entanto, os agressores ainda não foram identificados.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários