Tamanho do texto

Termo assinado pela procuradora-geral da República e pelo presidente do Supremo prevê dar celeridade para que tragédias como a de Brumadinho e a de Mariana não fiquem impunes e para que novas não aconteçam

Raquel Dodge e Dias Toffoli anunciaram observatório para prevenir e punir responsáveis por tragédias
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Raquel Dodge e Dias Toffoli anunciaram observatório para prevenir e punir responsáveis por tragédias


O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, e a procuradora-geral da república, Raquel Dodge, anunciaram a criação de um observatório que terá a responsabilidade de agir em conjunto na busca de soluções e monitoramento para evitar grandes tragédias. A ação vem como resposta e garantia de punição judicial após o rompimento das barragens em Brumadinho (MG).

Leia também: Bolsonaro fará apelo ao Congresso por reforma e por novas regras para barragens

Segundo Dias Toffoli, farão parte do observatório integrantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e o objetivo é trazer para a sociedade a sensação de que a justiça será feita.

“Não podemos deixar, como chefes do poder judiciário e do Ministério Público, que as entrelinhas de quem devem dar a solução tomem o tempo e deixem a sensação de que não houve justiça na tragédia de Brumadinho”, disse Toffoli.

Leia também: "Não tenho nenhum motivo para temer a prisão de ninguém", diz presidente da Vale

Raquel Dodge fez questão de lembrar da tragédia de Brumadinho e ressaltou que o caso não pode tomar os mesmos rumos do que aconteceu Mariana, com indefinições judiciais que persistem até hoje.

“Brumadinho é uma tragédia humana, mais que ambiental. Muitos foram atingidos por essa tragédia de vários modos. Empregos, economia afetada, as vítimas dessa tragédia são de diferentes características e isso precisa ser avaliado na hora de promover justiça”, disse a procuradora-geral da República.

Leia também: Rainha Elizabeth publica mensagem em solidariedade às vítimas de Brumadinho

Dias Toffoli destacou que a ação da justiça, daqui em diante, será para prevenir, mas também para julgar de forma célere e punir os envolvidos não só em Brumadinho, mas também em tragédias passadas e futuras.

“Se necessários vamos chamar todas as justiças envolvidas para que possamos dar celeridade. Essa é a oportunidade para que o judiciário tome uma solução célere e adequada”, afirmou o ministro.

A assinatura do termo que cria o observatório foi feita nesta quinta-feira (31), mesmo dia que Raquel Dodge recebeu representantes de famílias atingidas pela tragédia de Brumadinho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.