Tamanho do texto

Em entrevista, o coordenador da Defesa Civil de Minas Gerais comparou os dois desastres e disse que doações não são prioridade neste momento

Lama invadiu a zona baixa de Brumadinho após rompimento de barragem da Vale
Reprodução
Lama invadiu a zona baixa de Brumadinho após rompimento de barragem da Vale


O coordenador da Defesa Civil de Minas Gerais, Evandro Borges, comparou a área atingida pelo rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho com a tragédia de Mariana, que aconteceu em 2015. De acordo com ele, a área que ficou tomada pela lama em Brumadinho corresponde a 20% do território destruído no desastre de Mariana.

Leia também: Área atingida em Brumadinho é 20% da tragédia de Mariana, diz Defesa Civil

"Mariana teve uma dimensão muito maior", disse Borges, em entrevista coletiva dada à imprensa no início da tarde deste sábado (26). Segundo ele, o ocorrido em  Brumadinho não chega a um quarto do primeiro desastre com rompimento de barreiras.

Até agora, 19 famílias (cerca de 60 pessoas) estão desalojadas. Borges destacou que essas pessoas já foram alocadas pela Vale em abrigos ou hotéis.

O coordenador da Defesa Civil também disse que, neste momento,  as doações não são prioridade. Apesar disso, as pessoas que quiserem ajudar devem procurar a Polícia Militar, que vai indicar os batalhões que estão recebendo auxílo. As doações devem se concentrar em alimentos não-perecíveis, água e produtos de limpeza.

Borges também destacou que a área crítica do acidente já está estabilizada, e que as autoridades responsáveis estão trabalhando na normalização do fornecimento de energia elétrica. Cerca de 2 mil famílias ficaram sem luz.

Mais informações em instantes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas