PM do Rio cruza os braços deixando a população à mercê dos bandidos

Diante de policiamento ineficiente, violência não dá trégua no Rio de Janeiro e população sofre com arrastões e tiroteios durante folia do Carnaval
Foto: Reprodução
Moradora flagrou arrastão na praia de Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro

O Carnaval do Rio de Janeiro é um dos maiores patrimônios culturais do Brasil. Não há estrangeiro no mundo que já não tenha planejado turistar por aqui para participar dessa grande festa. Mas o que se vê na dita Cidade Maravilhosa neste ano está bem longe de ser só alegria. A violência, fator idesviável e que foi acentuado nos últimos meses na capital fluminense , tem amedrontado foliões antes, durante e depois das festas populares – quadro agravado pela ineficiência da PM do Rio.

Leia também: Crivella fracassou e não conseguiu estragar o carnaval carioca

Apavorados pela ação de criminosos e desprotegidos pela PM do Rio , vários cariocas e turistas flagraram em vídeos cenas de selvageria durante este Carnaval no Rio de Janeiro. Em nenhum desses revoltantes registros aparece nem sequer um mísero agente de segurança.

Uma moradora de um prédio em Ipanema, na zona sul, registrou o momento em que um homem é perseguido, roubado e covardemente agredido por bandidos na areia na noite desse domingo (11). Nenhum policial por perto.

Já em Niterói, na região metropolitana do Rio, uma quadrilha de criminosos armados fez arrastão na exata rua onde mora o prefeito da cidade, Rodrigo Neves (PDT). Durante a fuga, o grupo aterrorizou motoristas de ao menos três carros, obrigando-os a abandonar seus veículos sob ameaças e xingamentos. Também não se vê nenhum policial.

A reportagem da TV Globo  flagrou, durante a madrugada desta segunda-feira (12), um grupo de turistas que tiveram seus pertences roubados ao sair de um táxi e tentar chegar à portaria do hotel em que estavam hospedados.


As ocorrências em endereços e horários diferentes deixam claro que a bandidagem não se sente desconfortável em 'tocar o terror' onde e quando bem entenderem, a despeito do policiamento reforçado na cidade. 

O governador Luiz Fernando Pezão (MDB) anunciou na semana passada que até 17 mil policiais estariam nas ruas do Rio durante o feriado prolongado. "Está tudo engrenado. Nós vamos ter um grande Carnaval", garantiu Pezão.

Mas apenas ter um grande efetivo de policiais nas ruas não é garantia de segurança para a população. Ainda mais em um cenário amplamente conhecido em que, conforme destacou o próprio ministro da Justiça, Torquato Jardim, em entrevista concedida no fim do ano passado, existem "acordos" entre comandantes da Polícia Militar e lideranças do crime organizado .

É vergonhoso assistir às cenas de violência que tomam as ruas do Rio de Janeiro ao longo do ano. É duplamente vergonhoso ver que isso continua acontecendo em pleno período em que os holofotes de todo o mundo estão voltados para o nosso País. E é imensuravelmente vergonhoso (para interrompermos os numerais multiplicativos) ver que a violência impera mesmo diante de um planejamento do Governo e da PM do Rio para tentar evitar que isso acontecesse.

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2018-02-12/pm-rio-de-janeiro.html