Tamanho do texto

Segundo o ministro das Cidades, R$ 9,7 bilhões do Orçamento Geral da União e R$ 63 bilhões do FGTS já estão destinados para o programa

Ministro das Cidades disse que não há previsão de contingenciamento de parte dos recursos do Minha Casa, Minha Vida
Bruno Peres/ Min. Cidades - 14/03/2016
Ministro das Cidades disse que não há previsão de contingenciamento de parte dos recursos do Minha Casa, Minha Vida

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, anunciou nesta quinta-feira (8) que a meta do governo federal para 2018 é contratar 650 mil novos imóveis no Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). Para a Faixa 1, em que a pessoa deve ter renda familiar máxima de R$ 1.800, o objetivo é assegurar 130 mil contratações. Para a Faixa 1,5 (renda familiar de até R$ 2.350), a meta é de 70 mil; para a Faixa 2 (renda familiar de até R$ 3.600), 400 mil; e para a Faixa 3 (renda familiar de até R$ 6.500), 50 mil novas unidades.

Leia também: Governo pretende liberar até julho documento único de identificação

Para essas ações estão destinados R$ 9,7 bilhões do Orçamento Geral da União e R$ 63 bilhões do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O ministro Alexandre Baldy disse que não há previsão de contingenciamento de parte dos recursos do ' Minha Casa, Minha Vida' . “Temos uma meta que é possível alcançar frente ao orçamento que está disponibilizado para o que é de recurso da União”, assegurou.

No entanto, o ministro não quis dar um prazo para a realização das obras contratadas. Apenas afirmou que acredita ver os empreendimentos concluídos em um prazo "exíguo". "Com recursos que tenhamos assegurados, nós acreditamos que as obras serão realizadas no prazo mais exíguo possível", garantiu.

Leia também: Eunício diz que reforma da Previdência foi "mal vendida" pelo governo

O ministro disse que a intenção é agilizar as contratações. “O objetivo é alterar procedimentos nas seleções, especialmente na Faixa 1. Nesse procedimento, queremos colocar em prática seleções de projetos que visem acelerar a contratação, como o estabelecimento de prazos para apresentação de projeto e início das metas”, disse Alexandre Baldy.

Balanço 2017

Em 2017, a meta era de 610 mil contratações . De acordo com o ministro, desse total foram realizadas 495 mil. O ministro disse que o órgão está atuando para resolver o problema das mais de 70 mil obras do programa que estão paradas.

Leia também: Após 10 anos congelado, preço do transporte público sofre reajuste de 94% no RS

Alexandre Baldy adiantou que além do 'Minha Casa, Minha Vida', outras duas iniciativas de apoio à moradia popular serão retomadas, o programa de habitação rural, para o qual estão previstas 50 mil contratações, e o de projetos por meio de entidades usando recursos do Fundo de Desenvolvimento Social.

* Com informações da Agência Brasil