Tamanho do texto

Operação não tem ligação com o Plano Nacional de Segurança Pública, que conta com o apoio do Exército, na zona sul do Rio desde a semana passada

Operação das forças de segurança do Rio de Janeiro acontece desde as primeiras horas desta quarta-feira
Reprodução/Twitter
Operação das forças de segurança do Rio de Janeiro acontece desde as primeiras horas desta quarta-feira

As Forças Armadas, em uma ação conjunta com a Polícia Civil e a Polícia Rodoviária Federal, realizam, desde o final da madrugada desta quarta-feira (27), uma operação integrada contra o crime organizado no Rio de Janeiro.

Leia também: Controlado por motivos de segurança, espaço aéreo da Rocinha tem restrições

Para isso, as forças de segurança do Rio de Janeiro cumprem mandados de segurança e de busca e apreensão, expedidos pela Justiça, nas comunidades do Barro Vermelho, Sapinho e Gerusa, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. 

Ao todo, cerca de 500 agentes participam da operação.  São feitos cercos das tropas federais para que os policiais possam cumprir os mandados dentro das favelas. Segundo a Globo News , Até 9h, quatro pessoas haviam sido presas e não havia informações sobre feridos ou detalhes sobre apreensões.

Essa operação não tem ligação com o Plano Nacional de Segurança Pública, realizado pelas Forças Armadas e as forças de segurança estaduais na favela da Rocinha, na zona sul do Rio, desde a última sexta-feira (22).

Guerra no Rio

Há mais de uma semana, a Rocinha vive sob o terror de uma disputa de poder entre duas facções no domínio do tráfico de drogas na favela. Um dos responsáveis por essa guerra na favela que fica na zona Sul do Rio é o traficante foragido Rogério Avelino, mais conhecido como Rogério 157. Ele chegou a fugir da favela quando o confronto começou, porém decidiu voltar para manter seu poder no tráfico de drogas do local.

Leia também: Exército chega à favela da Rocinha após manhã de pânico e de tiroteios no Rio

Na madrugada do sábado (23), Rogério 157 e outros traficantes renderam um taxista em uma rua do Jardim Botânico, na Zona Sul, e o obrigaram a dirigir em direção à comunidade.  No entanto, na entrada do Túnel Rafael Mascarenhas, os criminosos atacaram uma viatura da Polícia Militar, que iniciou perseguição ao veículo.

Quando estavam próximos ao Túnel Zuzu Angel, houve nova troca de tiros com a guarnição do Exército, segundo depoimento do taxista que escapou ileso do tiroteio. Os criminosos conseguiram escapar da polícia e entraram na mata, que dá acesso à comunidade. 

O delegado Antônio Ricardo, titular da 11ª Departamento Policial que fica na Rocinha, confirmou que Rogério 157 conseguiu retornar ao morro. Para tentar prender o traficante, a polícia do Rio de Janeiro chegou a oferecer uma recompensa no valor de R$ 30 mil por informações que os levem ao criminoso. Porém, com a crescente tensão no local o Portal dos Procurados do Disque Denúncia aumentou para R$ 50 mil a recompensa por informações que levem à prisão do traficante. 

Leia também: Tiroteio entre traficantes causa pânico e deixa ao menos um morto na Rocinha

* Com informações da Agência Brasil.