Tamanho do texto

Eloise Dixon estava com o marido e as três filhas quando foi atingida por tiros na entrada de uma favela; segundo médicos, vítima foi operada e passa bem

Angra dos Reis: um dos tiros que atingiu a vítima pegou de raspão no peito e o outro atravessou o abdômen da mulher
Facebook/ Eloise Dixon
Angra dos Reis: um dos tiros que atingiu a vítima pegou de raspão no peito e o outro atravessou o abdômen da mulher

Uma turista inglesa foi ferida por dois tiros no domingo (6), em Angra dos Reis, no sul do Rio de Janeiro. Eloise Dixon, de 46 anos, estava com o marido e três filhos na Rodovia Rio-Santos (BR-101), quando entrou, por engano, na comunidade de Água Santa. Um dos tiros que atingiu a vítima pegou de raspão no peito e o outro atravessou o abdômen da mulher, que, segundo boletim médico desta segunda-feira (7), passa bem.

Leia também: No Rio, Operação "Comigo não, violão" prende 33 suspeitos de violência doméstica

O marido da vítima dirigia um carro alugado e, ao entrar na comunidade em Angra dos Reis , a mulher acabou sendo alvejada por um dos homens que tomava conta da entrada da favela. As três filhas, a mais velha com 12 anos de idade, estavam no banco de trás do carro, mas não foram atingidas.

Eloise foi encaminhada para o Hospital Geral da Japuíba onde passou por uma cirurgia. O estado da paciente é bom, já que as balas não atingiram nenhum órgão vital. Ela está consciente, falando e reagindo bem à cirurgia. A família quer transferir a paciente para ficar mais perto do Rio de Janeiro , onde se encontram familiares e amigos.

O diretor médico do hospital, Sebastião Faria, disse que não vê necessidade de a paciente ser transferida para o Rio. "Ela está muito bem, conversando normalmente, numa enfermaria junto o marido e as três filhas menores de idade e terá alta dentro das próximas 48 horas", avaliou.

Leia também: Motorista de caminhão de carga é feito refém um dia após megaoperação no Rio

Investigação

O delegado Bruno Gilaberte, titular da delegacia policial de Angra, responsável pelo caso, informou nesta segunda-feira (7) que já tem uma linha de investigação para o crime, mas preferiu manter as informações sob sigilo.

A prefeitura de Angra, por meio da TurisAngra, e o Angra Convention disseram que exigem ações de combate à violência.

Os empresários de turismo, por meio do Angra dos Reis e Ilha Grande Convention e da Fundação de Turismo de Angra, manifestaram, em nota, “sua mais veemente indignação contra o ato de violência praticado a uma família de turistas estrangeiros. Nosso entendimento é de que as nossas famílias também foram atingidas, em face de que todos poderiam estar na mesma situação”.

Leia também: PF busca quadrilha que sabotava torres de energia para extorquir mineradora Vale

A nota diz ainda que “nosso dever é oferecer toda assistência às vítimas, o que já está sendo realizado em todos os níveis, com o envolvimento total da administração municipal no caso. No entanto, como responsáveis pelo desenvolvimento do turismo na região, defendemos um imediato reforço no policiamento da região, a destinação de verbas oficiais e privadas para a segurança pública e o fortalecimento de iniciativas que visem a recuperação econômica do município [Angra dos Reis].”

* Com informações da Agência Brasil

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.