Tamanho do texto

Operação é deflagrada em nove estados; jogo é praticado em comunidades fechadas de redes sociais e instiga os participantes a cometerem suicídio

O jogo Baleia Azul é praticado em comunidades fechadas de redes sociais como Facebook e Whatsapp
Reprodução/Youtube
O jogo Baleia Azul é praticado em comunidades fechadas de redes sociais como Facebook e Whatsapp

Policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) da Polícia Civil realizam, nesta terça-feira (18), uma operação para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão contra suspeitos de envolvimento com o jogo Baleia Azul.

Leia também: 'Baleia Azul' é tema de audiência pública na Câmara dos Deputados

Os mandados expedidos pela Justiça estão sendo cumpridos em 20 municípios de nove estados brasileiros, entre eles o Rio de Janeiro. A operação contra o jogo Baleia Azul foi apelidada pela polícia de Aquarius. 

Além do Rio, os agentes atuam também no Amazonas, Pará, Rio Grande do Sul, em Minas Gerais, São Paulo, Paraíba, Santa Catarina e Sergipe.

De acordo com a titular da DRCI, Daniela Terra, os agentes conseguiram se infiltrar em comunidades e identificar alguns curadores do jogo. "Pelo menos 15 vítimas vieram procurar a DRCI e as investigações começaram no início do ano", disse ela, em entrevista à RedeTV .

Mensagens. Internet é o principal vetor do desafio da Baleia Azul, inclusive na propagação de boatos
MOISES SILVA – 17.4.2017
Mensagens. Internet é o principal vetor do desafio da Baleia Azul, inclusive na propagação de boatos

O jogo é praticado em comunidades fechadas de redes sociais como Facebook e Whatsapp. e é um processo de lavagem cerebral de adolescentes vulneráveis. O processo leva em torno de 50 dias. Os jovens devem realizar tarefas como acordar de madrugada, assistir a filmes de terror e praticar automutilação. O último comando do jogo é o suicídio.

'Lixo Biológico'

O jogo teve início na Rússia. Em maio, um dos criadores do jogo de suicídio afirmou que via suas vítimas como “lixo biológico” . Preso e em julgamento por incitar o suicídio de 16 garotas, o russo Philipp Budeikin, de 21 anos, confessou os crimes e disse à polícia que estava “limpando a sociedade”.

Budeikin, um dos mentores das tarefas, têm recebido dezenas de cartas de amor de adolescentes na prisão. De acordo com a lei, as autoridades não podem interceptar as cartas nem impedir que ele responda àquelas que fornecem um endereço. 

Philipp Budeikin, criador do jogo Baleia Azul, recebe dezenas de cartas de amor de adolescentes na prisão
Reprodução/Twitter
Philipp Budeikin, criador do jogo Baleia Azul, recebe dezenas de cartas de amor de adolescentes na prisão

“Provavelmente, essas jovens que se apaixonaram por ele não estavam recebendo amor e atenção suficientes de seus pais”, disse a psicóloga Veronika Matyushina ao Daily Mail . “Foi assim que nasceu o sentimento romântico”.

Budeikin veio de um cenário familiar parecido com esse. Quando jovem, quase não tinha contato com sua mãe, que ia trabalhar logo cedo e voltava tarde para casa. Na escola, ele também não tinha amigos. Investigadores acreditam que esses fatores o levaram a procurar essa conexão com adolescentes durante a vida adulta.

Em seu depoimento à polícia, Budeikin afirmou que cultivou a ideia por muito tempo antes de criar o jogo. “Começou em 2013, quando eu criei a comunidade online. Eu estava pensando nessa ideia há cinco anos. Era necessário distinguir pessoas normais do lixo biológico ”.

Leia também: Jogo nas redes sociais leva duas garotas a cometerem suicídio na Rússia

“Existem pessoas e existem resíduos biológicos – aqueles que não representam nenhum valor para a sociedade. Que causam ou só vão causar danos à sociedade. Eu estava limpando nossa sociedade dessas pessoas”, disse o criador da Baleia Azul.

* Com informações da Agência Brasil.