Tamanho do texto

Estado não deu previsão de quando fará o pagamento para profissionais de outras áreas; sindicato iniciou campanha em apoio aos servidores

Sem previsão sobre o décimo terceiro, demais servidores devem receber parcela do salário de novembro em 5 de janeiro
Valter Campanato/Agência Brasil - 22.11.2016
Sem previsão sobre o décimo terceiro, demais servidores devem receber parcela do salário de novembro em 5 de janeiro

O governo Rio de Janeiro pagou o décimo terceiro salário dos servidores da educação nesta quarta-feira (28). A Secretaria de Estado de Educação informou que os benefícios serão pagos aos 90 mil servidores da área com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

LEIA MAIS: Temer deve vetar projeto de socorro financeiro a estados e exigir contrapartidas

Os demais servidores do Rio de Janeiro ainda não têm previsão de receber o décimo terceiro por conta da crise nas contas públicas do Estado e ainda aguardam o pagamento de novembro. Diferente do que foi prometido, a primeira das cinco parcelas do salário será paga em 5 de janeiro . O governo do Estado havia anunciado o pagamento para o dia 23 de dezembro. 

Após o governo divulgar que adiaria o pagamento da primeira parte do salário, desembargadores e juízes do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro iniciaram uma campanha para apoiar os funcionários estaduais. O servidor do Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado (Proderj), Paulo Cesar Pereira, diz que está há 45 dias sem receber e foi ao sindicato para buscar a doação. "Não estava sabendo, um colega falou que estava tendo e falou pra eu passar aqui. Como está acabando os mantimentos em casa, o governo falou que paga dia 5, daí a gente recupera".

De acordo com o diretor-geral do Sindicato dos Servidores do Judiciário do Rio de Janeiro (SindJustiça-RJ), Ramon Carrera, já foram arrecadados R$ 85 mil e 34 toneladas de alimento. "A campanha é por prazo indeterminado. Enquanto tiver alimento e necessidade do servidor, aposentado e pensionista, vamos continuar com a campanha. O ato não é para confrontar o governo, nada disso", diz Carrera. "É porque tem muitos servidores, aposentados e pensionistas que estão passando extrema necessidade, estão com aluguel atrasado, as outras contas vão se somando no final do mês".

LEIA MAIS: União bloqueia R$ 128 milhões do Rio e afeta pagamento de salários de servidores

Após receber o pagamento décimo terceiro, o professor Reginaldo Tobias foi ao sindicato para contribuir com a campanha. "Nesse momento que eu recebi, fico me lembrando dos professores que me formaram e estão sem dinheiro para a cesta básica", afirma. "Sou do Rio de Janeiro, carioca e professor, estou pensando naqueles que me formaram e que agora deveriam gozar de um descanso merecido e a gente está nessa situação. Hoje são eles e amanhã serei eu. Muitos professores já se organizaram e fizeram a doação anonimamente".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.