Tamanho do texto

Filho do cabo Raul Rocha dos Santos pode fazer o transplante na véspera de Natal; dinheiro arrecadado pela corporação será doado para outra paciente

Transplante de coração: véspera de Natal foi marcada por um
Reprodução/ Facebook
Transplante de coração: véspera de Natal foi marcada por um "milagre" para a família do cabo Rocha, da Polícia Militar

A véspera de Natal deste ano foi marcada por um milagre para a família do cabo da Polícia Militar de São Paulo, Raul Rocha dos Santos. Isso porque seu filho, Guilherme, estava internado há anos no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (INCOR), à espera de um transplante de coração, que acabou se realizando no dia 24 de dezembro deste ano. 

LEIA MAIS: Menino de 7 anos trabalha no McDonald's para fazer doação a crianças carentes

A situação do menino de 15 anos era complicada. Por causa de seu problema de saúde, ele precisava usar um equipamento chamado "Ventrículo Auxiliar" (coração artificial), mas o que estava disponível no hospital servia apenas para alguns dias. "Se ele não recebesse um transplante em até cinco dias, teria sequelas irreparáveis ou até poderia entrar em óbito", conta uma publicação da Polícia Militar de São Paulo no Facebook.

Por isso, no dia 22 de dezembro, a PM iniciou uma campanha pela internet para arrecadar dinheiro para comprar o aparelho – equipamento custa em torno de R$ 300 mil. A vaquinha acabou arrecadando em apenas dois dias R$ 230 mil. 

LEIA MAIS:  O que policiais da ROTA fazem? Salvam vidas

No entanto, com a chegada do coração na véspera de Natal e o sucesso do transplante, a família de Guilherme decidiu doar o dinheiro para outra paciente, a menina Isa, de 12 anos, filha da cabo Gláucia Marina Ramos Diringer.

Caso Isa

A filha da cabo Marina possui a "síndrome do intestino curto",  doença que afeta pessoas que tiveram ressecado seu intestino delgado. Na busca pela cura da enfermidade, a mãe de Isa descobriu que um médico na Inglaterra pode realizar uma cirurgia, cujo tratamento promete 90% de eficácia para controlar a síndrome.

LEIA MAIS: Imagem de menino Jesus é furtada de presépio no interior de São Paulo

A arrecadação para que a família possa levar a menina até o exterior começou no dia 15 de dezembro. Neste dia, a filha da cabo Marina passou mal e teve que ser levada ao pronto-socorro, onde contou com o apoio de vários agentes da Polícia Militar. A estimativa da família de Isa agora é arrecadar R$500 mil para realizar a viagem.

Saiba mais sobre a história de Isa no vídeo: 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.