Tamanho do texto

Investigado por esquema de funcionários fantasmas, Rogério Lins (PTN) estava nos Estados Unidos e desembarcou no Brasil neste domingo (25)

Prefeito eleito em Osasco, Rogério Lins (PTN) atualmente é vereador do município da Grande SP
Divulgação
Prefeito eleito em Osasco, Rogério Lins (PTN) atualmente é vereador do município da Grande SP

O prefeito eleito em Osasco, Rogério Lins (PTN), desembarcou na manhã deste domingo de Natal (25) no Aeroporto Internacional de Guarulhos e se entregou à polícia. Ele estava foragido desde o dia 6 de dezembro , quando teve o mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça em decorrência das investigações da Operação Caça-Fantasmas, do Ministério Público paulista.

De acordo com informações da TV Globo, Rogério Lins foi encaminhado à Cadeia Pública de Osasco. 

Em vídeo publicado em uma rede social, o prefeito eleito e atualmente vereador da cidade da Grande São Paulo explica que estava em férias com sua família até o dia 31 deste mês e diz que irá contribuir com as investigações "de cabeça erguida".

LEIA TAMBÉM:  Senado dá dica para "tretas" de Natal e vira piada na internet

"Para minha surpresa aconteceu uma nova ação do Ministério Público pedindo a prisão de alguns vereadores. Ninguém mais do que eu tem total interesse no esclarecimento dos fatos. Para que tudo isso fique esclarecido, estou voltando ao nosso País de cabeça erguida, e vou contribuir totalmente com as investigações", afirma o vereador.

Lins é um dos alvos da Operação Caça-Fantasmas, iniciada em agosto, que investiga um esquema fraudulento para a contratação de funcionários na Câmara Municipal de Osasco. De acordo com as apurações da promotoria paulista, o esquema desviou R$ 21 mihões.

Na última fase da operação, quando foi expedido o mandado contra Rogério Lins, dez vereadores foram presos , incluindo o presidente da Câmara Municipal da cidade, Jair Assaf (Pros).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.