Tamanho do texto

Polícia Civil diz que Willy Gorayeb Liger está foragido na Bahia; ele é gerente de um bar, onde uma militante feminista foi encontrada morta, na Mooca

Willy Liger está na Bahia, garante a Polícia Civil
Divulgação/Polícia Civil
Willy Liger está na Bahia, garante a Polícia Civil

O sobrinho do vereador da cidade baiana de Ubaitaba Marco líger (PMDB), está foragido pela Bahia após ter confessado o assassinato violento de uma mulher em São Paulo, na última quarta-feira (14). Willy Gorayeb Liger, de 27 anos, foi responsável pelo espancamento até a morte de Débora Soriano de Melo, 23 anos.

LEIA TAMBÉM:  "Meus pais me ameaçavam com motosserra": veja casos de violência contra a mulher

O assassinato aconteceu em um bar da Mooca, na capital paulista, em que Marco é gerente. Com as chaves do estabelecimento em mãos, após uma balada, o criminoso entrou no lugar com dois amigos – Luis Fernando Domingues Colón e Rodrigo Siqueira Rosa – e duas meninas que eles haviam conhecido há poucas horas – Débora, a vítima, e Patrícia Silva Santos.

Débora, que era militante feminista e mãe de duas crianças, foi encontrada morta dentro do bar
Divulgação/Polícia Civil
Débora, que era militante feminista e mãe de duas crianças, foi encontrada morta dentro do bar

De acordo com a Polícia Civil, por volta das 9h30, imagens de segurança mostram Luis, Rodrigo e Patrícia deixando o bar. Débora e Willy ficaram trancados dentro do estabelecimento. Não há informações sobre quem teria fechado a porta e trancado os dois.

VEJA AINDA:  Um em cada três brasileiros culpa mulheres pelo estupro, mostra pesquisa

Segundo os depoimentos de Luis, Rodrigo e Patrícia, o trio que saiu mais cedo chegou a oferecer carona para Débora, mas ela não aceitou e quis ficar no local. Mais tarde, Willy deixou o bar pela saída do exaustor, que ficava no telhado do estabelecimento. Dentro do local, ficou somente o corpo de Débora, já morta.

Denúncia feita pelos primos

A polícia só soube do crime por volta das 15h, quando recebeu a visita de Delano Ruiz Liger e Marcelo Liger, ambos primos de Willy. Delano, que é dono do bar onde tudo aconteceu, disse que recebeu uma ligação de Willy confessando o crime e pedindo para que o bar não fosse aberto naquele dia. Delano disse que Willy pediu ainda que o primo não o denunciasse à polícia. Marcelo, que acompanhou Delano à delegacia, é advogado.

Willy Gorayeb Liger tem 27 anos e é procurado pela Polícia Civil de São Paulo
Divulgação/Polícia Civil
Willy Gorayeb Liger tem 27 anos e é procurado pela Polícia Civil de São Paulo

A polícia garante que Willy fugiu para Ubaitaba. Débora, que era militante feminista e mãe de duas crianças, foi encontrada pela polícia sem vida dentro do bar, logo após a denúncia. Seu corpo apresentava sinais de espancamento e possível estupro. O laudo pericial ainda não está pronto para confirmar o abuso sexual.

E MAIS:  Protesto em São Paulo pede fim da violência contra as mulheres

Willy Liger, que é intensamente procurado pela polícia a respeito do assassinato, já era foragido da polícia. Ele estava condenado por um crime cometido em 2009, quando estuprou e roubou uma outra mulher. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.