Tamanho do texto

Segundo o Corpo de Bombeiros, 16 viaturas estão no local e mais oito devem chegar para auxiliar no combate ao fogo, que começou por volta das 17h30

Incêndio começou por volta das 17h30 desta quinta-feira (22) e atinge uma empresa que seria de material reciclável
Reprodução/ GloboNews
Incêndio começou por volta das 17h30 desta quinta-feira (22) e atinge uma empresa que seria de material reciclável

Um incêndio de grandes proporções atinge um galpão na região de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Segundo o Corpo de Bombeiros, 22 viaturas estão no local para combater as chamas. Até o momento, não há informações de vítimas.

LEIA MAIS:  Tentativa de assalto a carro-forte provoca pânico no interior de São Paulo

De acordo com os bombeiros, o incêndio , que começou por volta das 17h30 desta quinta-feira (22), atinge uma empresa que seria de material reciclável na Rua Montes Claros, próximo à Rodovia Ayrton Senna.

Incêndios recentes

No útimo dia 28, treze pessoas ficaram feridas em um incêndio, no município de Diadema, no ABC Paulista, em uma fábrica que produz cosméticos e produtos em aerossol. Segundo o Corpo de Bombeiros, uma equipe de 72 homens da corporação combateu pequenos focos de incêndio. Funcionário da fábrica Imã Spray, Alex Sandro Nunes, que trabalha no almoxarifado, contou que, assim que começou o fogo, ele e os colegas saíram rapidamente.

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) divulgou nota informando que a fábrica não tem licença ambiental prévia de instalação para atuar . Segundo o comunicado, a licença foi solicitada em abril de 2016, mas ainda não foi concedida por falta de apresentação de documentos complementares pela empresa.

Já no último dia 23, os bombeiros trabalharam no combate ao incêndio do Shopping Brás, na região central da capital paulista. No edifício, eram vistos, às 10h30, pequenos focos de fogo, com risco de desabamento da estrutura. Atuaram no combate às chamas 72 bombeiros e 31 viaturas.

O prédio, localizado na Rua Roque Victor Vasto, número 10, fica em área de grande movimentação de comércio popular no Brás. No imóvel, havia pequenos boxes com grande quantidade de material plástico e tecido, o que ajudou a propagar o fogo.

LEIA MAIS: MP recebe documento que pede manutenção de velocidade reduzida em SP

Segundo os bombeiros, o projeto do prédio estava aprovado, mas não foi solicitado o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros.“Não havia estrutura que pudesse impedir a propagação, era um vão livre com pequenos boxes”, disse ele.

Na mesma região do Brás, um incêndio matou também no último dia 23 quatro pessoas, dois homens e duas mulheres, entre eles o responsável por alugar espaços do prédio invadido para moradia irregular. O edifício, na Avenida Celso Garcia, tinha uma ocupação para imigrantes de várias nacionalidades. No local, eles trabalhavam em precárias oficinas de produção de roupas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.