Tamanho do texto

Obras para reconstrução do edifício, na região central de São Paulo, deverão custar R$ 65 milhões; espaço foi atingido por incêndio em dezembro de 2015

Localizado na região central de São Paulo, museu deverá ser reaberto para o público em março de 2019
Gilberto Marques/A2img
Localizado na região central de São Paulo, museu deverá ser reaberto para o público em março de 2019

Atingido por um incêndio em dezembro do ano passado, o Museu da Língua Portuguesa, na região central de São Paulo, terá as obras de reconstrução iniciadas no mês de dezembro. A previsão é de que os trabalhos estejam concluídos até o fim de 2018. O serviço de restauração está avaliado em R$ 65 milhões.

LEIA MAIS:  Histórico, prédio do Museu da Língua Portuguesa tem estrutura do século 19

O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta segunda-feira, em evento realizado no Palácio dos Bandeirantes, a assinatura de um acordo entre o poder público e a iniciativa privada para viabilizar a reconstrução do museu . Participam da parceria a EDP, o Grupo Itaú e o Grupo Globo.

A previsão é de que a iniciativa privada invista R$ 36 milhões para as obras.  Outros R$ 34 milhões serão recebidos pelo Estado a título de indenização do seguro contra incêndio. O valor total chega a R$ 70 milhões. Como as obras devem demandar R$ 65 milhões, os R$ 5 milhões restantes serão usados para pagar as ações emergenciais já feitas e para bancar o primeiro ano de manutenção do edifício, após a reabertura.

Apesar de as obras estarem previstas para ser finalizadas em dezembro de 2018, o espaço só deverá ser aberto ao público em março de 2019. Isso porque, depois de concluída a reconstrução, as equipes deverão demorar cerca de três meses para implantar a infraestrutura interna.

LEIA MAIS:  Incêndio após explosão em fábrica deixa 13 feridos em Diadema

"Hoje estamos dando um grande passo para restaurar o museu e torná-lo mais moderno, com novas tecnologias e preservando os aspectos cultural e arquitetônico, com todos os projetos já devidamente aprovados", disse o governador . Ele garantiu que o espaço terá acessibilidade segurança contra incêndio.

Segundo o governo de São Paulo , as obras foram aprovadas pelos três órgãos ligados à preservação do patrimônio histórico: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat), órgão de âmbito estadual; e Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp).

Repercussão

O anúncio sobre a futura reabertura foi elogiado pelo embaixador de Portugal no Brasil, Jorge Dias Cabral, que participou do evento na sede do governo paulista.

LEIA MAIS:  Bombeiro civil morre ao tentar conter incêndio no Museu da Língua Portuguesa

"Hoje temos motivos de sobra para nos sentirmos orgulhosos ao ver o Estado de São Paulo e todos os patrocinadores unidos por uma causa tão nobre que é a reconstrução do nosso Museu da Língua Portuguesa", comentou Cabral.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.