Tamanho do texto

Acidente aconteceu em uma região de mata, sem pegar fogo. De acordo a Polícia Militar, o piloto, um homem e duas mulheres não resistiram à queda

Região próxima ao local do acidente com o helicóptero
Reprodução/TV Globo
Região próxima ao local do acidente com o helicóptero

Um  helicóptero caiu na cidade de São Lourenço da Serra, a 60 quilômetros da capital paulista, deixando quatro mortos. De acordo com informações da Polícia Militar, o piloto, um homem e duas mulheres não resistiram à queda da aeronave, que era particular. Uma das vítimas do acidente estava grávida.

LEIA MAIS: Número de mortos em incêndio na cidade de Oakland aumenta para 24

A ocorrência foi atendida pelo Corpo de Bombeiros, às 16h36, na Estrada da Barrinha, altura do número 4.024. O helicóptero caiu em região de mata, sem pegar fogo. Oito viaturas foram enviadas ao local para resgatar os corpos dos passageiros mortos no acidente .

Acidente de Medellín

A queda do helicóptero em São Lourenço da Serra foi o segundo acidente aéreo envolvendo brasileiros em menos de uma semana. Na terça-feira (29), o avião que levava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, caiu por falta de combustível e deixou 71 mortos. Apenas seis pessoas sobreviveram. 

LEIA MAIS: Protestos a favor da Lava Jato movem manifestantes em mais de 200 cidades

No último sábado (3), 50 vítimas da tragédia foram veladas na Arena Condá, estádio da Chapecoense. Dois caminhões percorreram as ruas da cidade com os caixões e depois se dirigiram à arena. Desde as primeiras horas de sábado, o local começou a receber torcedores da Chapecoense, mesmo com a insistente e forte chuva que caiu na cidade.

A prefeitura e o clube prepararam o velório coletivo no gramado do estádio, que teve lotação máxima nas arquibancadas - aproximadamente 19 mil pessoas. Os familiares e amigos puderam descer ao gramado para dar um último adeus, em clima de muita comoção, saudade e até mesmo revolta. Outras milhares ficaram do lado de fora acompanhando nos telões instalados nas proximidades do estádio.

Um a um, os caixões foram sendo retirados dos camihões e colocados em suas posições no gramado, logo abaixo das tendas que tinham os dizeres "nas alegrias e nas horas mais difíceis, meu furacão, tu és sempre um vencedor", trecho do hino oficial do clube. Todos sob muitos aplausos. 

LEIA MAIS: Pai acusa Gol de perder seu filho em voo para Vitória; empresa pede desculpas

Os nomes de todos os mortos no acidente foram lembrados no alto falante do estádio, tanto jogadores, membros da comissão técnica, diretoria e jornalistas. A cada citação, um balão branco foi solto. 

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.