Tamanho do texto

Ex-presidente do Banco Rural já cumpre pena em regime semiaberto desde 2015 por "bom comportamento". Ministro do STF liberou que durma em casa

Além de Kátia, ministro do STF liberou transferência de ex-sócio de Marcos Valério para prisão em MG
Dorivan Marinho/SCO/STF - 01.03.2016
Além de Kátia, ministro do STF liberou transferência de ex-sócio de Marcos Valério para prisão em MG

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Roberto Barroso, autorizou nesta terça-feira (29) que a ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello cumpra sua pena em regime aberto, permitindo, assim, que ela passe a dormir em casa. A empresária foi condenada em 2012 a cumprir 14 anos e cinco meses no processo da Ação Penal 470, também conhecido por “mensalão”.

+ Maia pede força-tarefa de deputados para rever decisão do STF que libera aborto

Na época, Kátia Rabello foi condenada por crimes de lavagem de dinheiro, evasão de divisas e gestão fraudulenta de instituição financeira. Ela está presa no Estado de Minas Gerais desde 2013, porém, em dezembro de 2015, conseguiu a autorização do ministro do STF para que progredisse ao regime semiaberto, ou seja, ela poderia sair do cárcere durante o dia, mas teria de retornar no período da noite.

Atualmente, Kátia está trabalhando em uma companhia de dança, dando aulas de balé na cidade de Belo Horizonte.

Bom comportamento

O ministro Barroso tomou sua decisão nesta terça-feira se baseando no “bom comportamento da detenta” no presídio. Além disso, Kátia comprovou que já quitou nove das 12 parcelas da multa aplicada pela Justiça de R$ 2,4 milhões. Desse modo, a ex-presidente do Banco Rural poderá progredir ao regime aberto a partir de agora.

+ Caso Geddel expõe atraso do Brasil no combate a conflitos de interesse, diz ONG

“Acolho o parecer do Ministério Público Federal e defiro à condenada Kátia Rabello a progressão para o regime aberto, observadas as condições a serem impostas pelo juízo delegatário desta execução penal”, escreveu o magistrado.

Além de Kátia, o ministro do Supremo Tribunal Federal também autorizou que o ex-sócio publicitário de Marcos Valério, Ramon Hollerbach, seja transferido do presídio de Brasília para o da cidade de Nova Lima, em Minas Gerais, a fim de poder cumprir sua pena de 27 anos e quatro meses de prisão em um local mais próximo de sua família.

Relembre

Em novembro de 2012, a Justiça condenou a empresária Kátia Rabello a 16 anos e oito meses de prisão  por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e gestão fraudulenta de instituição financeira. Após um recurso, o STF acabou excluindo de sua ficha o crime de formação de quadrilha – que dera a Kátia uma pena de dois anos e três meses. Assim, a ex-presidente do Banco Rural foi condenada em 14 anos e cinco meses. Agora, cumprirá o restante deste tempo em casa.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.