Tamanho do texto

Secretaria de Cultura espera mais de 3 milhões na próxima edição do evento na capital paulista, que ocorre no período entre 17 de fevereiro e 5 de março

Número de adeptos ao carnaval de rua vem crescendo na capital paulista; edição de 2016 teve público de dois milhões
Divulgação/PMSP
Número de adeptos ao carnaval de rua vem crescendo na capital paulista; edição de 2016 teve público de dois milhões

A Prefeitura de São Paulo recebeu quatro propostas de empresas interessadas em organizar o carnaval de rua na capital paulista  em 2017. A decisão final sobre a responsável pelo evento ficará a cargo da equipe do atual prefeito da cidade, Fernando Haddad (PT). A informação foi tornada pública nesta quarta-feira (30) por meio de publicação da Secretaria Municipal da Cultura no “Diário Oficial” do município.

Entre as postulantes a parceira da prefeitura na organização do evento está a Liga Independente das Escolas de Samba, responsável pelos desfiles no Sambódromo do Anhembi, e a Dream Factory, empresa que organizou as últimas duas edições do carnaval de rua paulistano e desempenha essa mesma função no Rio de Janeiro há sete anos.

As empresas Organização em Comunicação e Propaganda LTDA e a SRCOM SP Entretenimento e Comunicação completam a lista de interessadas.

LEIA TAMBÉM:  Ato de respeito com a Polícia Militar versus polêmica de Fátima Bernardes

As propostas serão agora analisadas por uma comissão formada pelo secretário-adjunto de Cultura, Maurício Dantas, pela diretora de eventos da pasta, Karen Cunha, e pelo coordenador de administração e finanças, Alexandre de Piero. O grupo ainda não tem prazo definido para anunciar a empresa escolhida.

O vencedor do chamamento público será responsável por “garantir a estrutura mínima necessária para os blocos de rua que deverão desfilar na cidade”, conforme aponta o edital da prefeitura. Ficará sob o encargo da empresa selecionada, por exemplo, a produção e instalação de materiais de comunicação visual sobre o evento.

Em contrapartida, o parceiro da prefeitura terá o direito de credenciar vendedores para atuar durante o evento (serão aproximadamente 10 mil). Os preços praticados serão analisados previamente pelo Executivo municipal.

A abertura das propostas apresentadas no edital de chamamento público seria realizada, a princípio, no dia 7 de novembro, mas o prazo acabou prorrogado até a última quarta-feira (23) devido à decisão de uma juíza da 2ª Vara de Fazenda Pública. A determinação da magistrada se deu em cima de um mandado de segurança apresentado pela Liga Independente das Escolas de Samba, que pedia a suspensão do processo licitatório.

LEIA TAMBÉM:  Referência feminina no samba, Dona Ivone Lara recebe Ordem do Mérito Cultural

Carnaval em SP

Uma das principais datas no calendário oficial de eventos da cidade, o carnaval de rua será realizado em 2017 no período de 17 de fevereiro a 5 de março. Até o momento, 495 blocos já se cadastraram junto à Secretaria de Cultura do município – um número recorde.

Na edição deste ano, cerca de 2 milhões de paulistanos e turistas participaram dos desfiles de 306 blocos em toda a cidade. O evento exigiu uma estrutura com 8.108 banheiros químicos, sendo 328 para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida; 48 postos médicos e 336 diárias de ambulância de remoção. Também foram empenhados no carnaval de rua 2.400 agentes de limpeza, 1.700 agentes de trânsito, 2 mil guardas civis, 130 agentes vistores e equipes de apoio das subprefeituras, além do apoio da Polícia Militar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.