Tamanho do texto

De acordo com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (Emtu), as empresas serão autuadas por partida não realizada

Nos últimos quatro meses, funcionários da empresa Eaosa fizeram diversas greves por falta de pagamento
Jeff Dias/ GESP
Nos últimos quatro meses, funcionários da empresa Eaosa fizeram diversas greves por falta de pagamento

A paralisação de cinco empresas de ônibus na região do ABC paulista prejudica nesta quarta-feira (16) o transporte de 45 mil passageiros. Os motoristas protestam em razão da falta de pagamento do último salário. Com a greve, 26 linhas de cinco cidades estão paradas: São Paulo, Mauá, Santo André, São Bernardo do Campo e Diadema.

LEIA TAMBÉM:  Homem é morto a tiros em dia de pânico em aeroporto nos EUA

As empresas Ribeirão Pires e Empresa Auto Ônibus Santo André (Eaosa) estão sem funcionar desde a última sexta-feira (11). Já as operadoras Riacho Grande, Imigrantes e Triângulo iniciaram a paralisação na manhã desta quarta-feira. Todas as companhias pertencem ao mesmo grupo.

Punição

De acordo com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (Emtu), as empresas serão autuadas por partida não realizada. Nos últimos quatro meses, funcionários da empresa Eaosa fizeram diversas greves por falta de pagamento. A Eaosa reconhece os frequentes atrasos nos salários, mas reclama de falta de repasse de subsídio referente à gratuidade para estudantes e idosos por parte da Emtu.

VEJA AINDA:   Tribunal anula pena de morte para Mohamed Mursi, presidente deposto no Egito

A Emtu propõe - como alternativa aos usuários de ônibus municipais - as linhas metropolitanas da empresa Rigras e os trens da linha 10 - Turquesa da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Outros casos

Em setembro, uma paralisação de motoristas e cobradores da empresa Viasul, que atende às zonas sudeste e leste da capital paulista, terminou após quase três horas, após afetar 17 linhas de ônibus. Segundo a Viasul, os grevistas protestavam contra a suspensão aplicada a um dos motoristas. A empresa informou que o funcionário foi punido por indisciplina, já que não teria atendido a solicitações de embarque de passageiros.

E MAIS:  Obama diz que "medo ajudou a alimentar populismo" e favoreceu eleição de Trump

Na ocasião, a empresa informou que o Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores havia bloqueado a saída dos veículos da garagem, localizada na Rua Guaiana, 608. Cerca de 70 ônibus ficaram parados, naquela manhã, na garagem, mas, levando-se em conta os veículos que circulavam nas ruas, pelo menos 180 ônibus ficaram fora de operação.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.