Tamanho do texto

Prefeito Rubens Bomtempo foi ao local do desastre pela manhã; moradores da região foram orientados a sair de casa e seguir para locais seguros

O deslizamento atingiu pelo menos quatro casas e as buscas pelas vítimas começaram logo após o desastre, por volta das 23h
Reprodução/Facebook
O deslizamento atingiu pelo menos quatro casas e as buscas pelas vítimas começaram logo após o desastre, por volta das 23h

Pelo menos duas pessoas morreram após as fortes chuvas que atingiram o bairro Quitandinha, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, nesta segunda-feira (14). De acordo com a Secretaria de Defesa Civil e Segurança Pública, ambas foram vítimas de um deslizamento de solo e rochas de grandes proporções registrado no fim da última noite, na Rua Uruguai.

LEIA TAMBÉM:  Chuvas deixam quase 200 famílias desabrigadas no Rio Grande do Sul

O deslizamento atingiu pelo menos quatro casas e as buscas pelas duas vítimas foram iniciadas logo depois do incidente, por volta das 23h. O trabalho chegou a ser interrompido pouco depois das 3h, por conta das chuvas , da pouca visibilidade e da instabilidade em toda a área, mas foi retomado pela manhã.

Por volta das 9h, a Defesa Civil publicou um boletim confirmando a morte de uma mulher de 49 anos e de um homem de 70 anos. Ambos os corpos foram encontrados nos escombros.

O prefeito Rubens Bomtempo foi ao local do deslizamento durante a manhã e se solidarizou com as famílias das vítimas. “Os esforços das equipes se concentraram, neste primeiro momento, no resgate às vítimas. Estamos ao lado das famílias neste momento difícil”, afirmou.

VEJA AINDA:  Feriado de Finados e calor de 39ºC lotam praias do Rio de Janeiro

O secretário de Defesa Civil e Segurança Pública, Rafael Simão, pede que as pessoas não se dirijam à região e lembra que a presença de curiosos atrapalha o trabalho das equipes que atuam no local.

A rua permanece interditada, com risco iminente de novos deslizamentos, e toda a área foi isolada. Os moradores da região foram orientados a sair de casa e seguir para locais seguros.

A Igreja Santíssima Trindade e o posto de saúde que funciona no prédio anexo à igreja permanecem abertos, servindo como ponto de apoio aos moradores. O Centro de Educação Infantil Chiquinha Rola também está aberto como opção para quem vive na região e não tem para onde ir.

Histórico de deslizamentos

Em 2011, a Região Serrana do Rio foi cenário do pior deslizamento da história do Brasil . Os serviços governamentais contabilizaram 916 mortes e centenas de desaparecidos, sendo 180 em Teresópolis, 85 em Nova Friburgo, 45 em Petrópolis e duas em Sumidouro.

Os municípios mais afetados pelas chuvas foram Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Sumidouro, São José do Vale do Rio Preto e Bom Jardim. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.