Tamanho do texto

Vídeo mostra seis policiais agredindo homem com cassetetes em frente a restaurante; comandante diz que corporação vai investigar ação dos policiais

A Polícia Militar do Rio de Janeiro reconheceu neste sábado (12) que PMs agiram fora dos padrões ao agredir, a cassetadas, um fotógrafo, na noite desta sexta-feira (11), no centro do Rio de Janeiro. O rapaz acompanhava uma manifestação contra o pacote de cortes do governo estadual  e a PEC 55, que limita gastos do governo federal, em tramitação no Congresso Nacional.

O fotógrafo foi cercado por pelo menos seis PMs , que usaram cassetetes contra os braços e as pernas do rapaz, enquanto um grupo de pessoas de dentro de um restaurante, avisava que o jovem era da imprensa.

Após assistir às cenas, em nota, o comandante do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos, o tenente-Coronel Rubens Castro Peixoto Júnior, admitiu que a abordagem não seguiu regras da corporação e vai abrir uma investigação, na esfera disciplinar, para avaliar o caso.

LEIA TAMBÉM:  Familiares clamam por justiça no enterro de jovens assassinados em emboscada

“O tenente-coronel Peixoto – Comandante do Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE) – analisou as imagens veiculadas nas redes sociais e reconhece que a abordagem efetuada pelos Policiais Militares do 5º BPM e do BPGE não seguiu os padrões regulados no âmbito corporativo”, afirmou a PM à imprensa.

A agressão ocorreu nas proximidades da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, no centro, que nesta semana chegou a ser invadida por PMs, bombeiros e agentes de segurança, também em protesto  contra o pacote do governo do Rio. A medida prevê aumento da contribuição previdenciária de 30% dos salários de servidores e aposentados, por exemplo.

OAB condena “agressão covarde”

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), no Rio de Janeiro, também divulgou uma nota, na qual considerou a cena como uma "covarde agressão física perpetrada por policiais”. A entidade também quer a abertura de processo disciplinar. No vídeo, os PMs não estavam com identificação nas fardas.

LEIA TAMBÉM:  Grafiteiros ilustram quartéis do Batalhão de Choque em evento cultural em SP

“Polícia nenhuma pode agir desta forma contra qualquer cidadão, seja jornalista ou manifestante, tais fatos só demonstram o completo despreparo destes policiais agressores”, disse a OAB.

De acordo com a polícia, a agressão ocorreu depois da dispersão da manifestação, que aconteceu de maneira pacífica. Neste momento, um pequeno grupo tinha provocado os policiais, como “uma série de violações e insultos” e acabaram detidas na 5º Delegacia de Polícia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.