Tamanho do texto

Os cinco jovens encontrados mortos na região de Mogi das Cruzes serão enterrados neste sábado (12), na zona leste de São Paulo

Os cinco jovens mortos em uma chacina na Grande São Paulo serão enterrados neste sábado (12)
Divulgação/Polícia Civil
Os cinco jovens mortos em uma chacina na Grande São Paulo serão enterrados neste sábado (12)

Os corpos dos cinco jovens assassinados em uma chacina na região metropolitana de São Paulo, em 21 de outubro, serão sepultados em uma cerimônia coletiva neste sábado (12), no Cemitério da Vila Alpina, na zona leste da capital paulista. O velório deve começar por volta de 13h.

Nessa sexta-feira (11), foi confirmada a identidade da quinta vítima da chacina , Jones Ferreira Januário, de 30 anos, que dirigia o carro e teria sido contratado pelos demais. O corpo dele foi o último a ser liberado pelo Instituto Médico Legal (IML), informou Cheila Olalla, representante do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe). Segundo ela, a família decidiu participar do enterro coletivo, planejado pelos parentes das outras vítimas.

Leia mais: Após prisão de guarda-civil, outros agentes prestam depoimento sobre chacina

Os corpos de Jonathan Moreira Ferreira, 18 anos; César Augusto Gomes Silva, 20; Caique Henrique Machado Silva, 18; e Robson de Paula, 17, já tinham sido identificados e liberados nos dias anteriores.

Entenda o caso

O grupo de jovens, que morava na região de São Mateus, na zona leste de São Paulo, desapareceu no dia 21 de outubro ao sair para uma festa. Os corpos foram encontrados no último domingo (6) em estágio avançado de decomposição em um matagal em Mogi das Cruzes, na região metropolitana da capital paulista.

Leia mais: Polícia encontra corpos e suspeita ser de jovens desaparecidos em SP

O guarda municipal Rodrigo Gonçalves Olveira, de Santo André, foi preso por suspeita de envolvimento no desaparecimento e morte dos jovens. Ele teria criado um perfil falso no Facebook para atrair os jovens a uma festa na região de Ribeirão Pires, também na Grande São Paulo. Há suspeita de participação de policiais militares no crime.

Leia mais: Guarda Civil é preso após confessar envolvimento em caso de jovens mortos

De acordo com a polícia, a chacina teria sido uma retaliação ao assassinato do guarda municipal Rodrigo Lopes Sabino, morto durante um assalto em setembro. Dois dos jovens mortos, Caique Henrique Machado Silva e César Augusto Gomes Silva, teriam participado do crime.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.