Tamanho do texto

Segundo a PF, organização criminosa tinha o homicídio como prática habitual; duas mortes e dois desaparecimentos investigados foram em 2010

Polícia Federal afirma ainda que as investigações demonstraram que os homicídios eram praticados inclusive no horário de trabalho dos policiais militares
Marcelo Camargo/ Agência Brasil - 05.09.2016
Polícia Federal afirma ainda que as investigações demonstraram que os homicídios eram praticados inclusive no horário de trabalho dos policiais militares

A Polícia Federal deflagrou, nesta sexta-feira (11), a segunda fase da Operação Sexto Mandamento para desarticular um grupo de extermínio atuante no estado de Goiás. A primeira fase da operação foi deflagrada em 2011  e tinha como alvo uma organização criminosa com poder de influência e de intimidação composta por policiais militares do estado, das mais diversas patentes.

À época, o subcomandante-geral da Polícia Militar e mais 18 policiais militares foram presos, além de outros civis. Eles eram suspeitos de envolvimento com a execução de crianças, adolescentes e mulheres em cidades goianas.

De acordo com a Polícia Federal, a organização criminosa tinha o homicídio como prática habitual. Entre as vítimas estariam crianças, adolescentes e mulheres que não tinham envolvimento com práticas criminosas.

LEIA TAMBÉM:  PM é acusado de integrar grupo de extermínio em Salvador

A Polícia Federal afirma ainda que as investigações demonstraram que os homicídios eram praticados inclusive no horário de trabalho dos policiais, com o uso de carros da Polícia Militar clandestinamente e em ações que não estavam ligadas ao trabalhos dos agentes.

As duas mortes e dois desaparecimentos investigados na operação ocorreram em 2010. Desde 2015, o inquérito instaurado pela Polícia Federal para apurar o caso tramita na Justiça Federal em Formosa (GO).

A PF está cumprindo três mandados de prisão temporária, 19 mandados de busca e apreensão e 17 conduções coercitivas contra pessoas investigadas. As ações ocorrem nas cidades de Goiânia, Alvorada do Norte e Formosa, todas em Goiás.

O nome da operação é uma referência ao sexto mandamento da Bíblia: “Não matarás”.

Pesquisa indica medo na população

Uma pesquisa nacional divulgada no início deste mês  aponta que 70% da população sente que as polícias cometem excessos de violência no exercício da função. O percentual sobe entre jovens com idade entre 16 e 24 anos, chegando a 75%. Os dados foram apurados pelo Datafolha a pedido do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

Mais da metade da população (53%) tem medo de ser vítima de violência por policiais civis e 59% temem ser agredidos por policiais militares. O índice também sobe entre os jovens – 60% têm medo da Polícia Civil e 67%, da Polícia Militar. O estudo ouviu 3.625 brasileiros com mais de 16 anos em 217 municípios de todo país. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.