undefined
Reprodução/Globonews
Detentos incendiaram pelo menos três pavilhões de hospital de custódia localizado em Franco da Rocha (SP)


Policiais Militares ainda tentam recapturar quatro dos 55 presos que fugiram na última segunda-feira (17) do Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico (HCTP) Professor André Teixeira Lima, em Franco da Rocha, município localizado ao norte da Grande São Paulo. 

Leia mais:  Presos fazem rebelião em hospital de custódia na Grande São Paulo

A fuga ocorreu após um motim organizado pelos detentos, que atearam fogo em colchões, lençóis, roupas e outros objetos, provocando um grave incêndio que se propagou por pelo menos três pavilhões do hospital .

A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) informou que só vai divulgar um balanço final sobre os estragos que a rebelião causou no local após a vistoria técnica, que ainda está sendo feita no local.

Transferência

Em razão dos danos causados nos pavilhões, foi necessário efetuar a transferência de presos para outras unidades. O órgão não informou para onde os detentos foram levados e nem o número de transferidos, justificando que o sigilo ocorre por medida de segurança.

Veja aqui:  Rebelião deixa 25 mortos em presídio de Roraima

O Hospital de Custódia tem alas masculinas e femininas e recebe detentos em tratamento que cumprem pena em regime fechado e semiaberto. Também há presos provisórios e em medida de segurança. De acordo com a secretaria, em contagem feita no último dia 13, havia 523 presos na unidade, que tem capacidade para 549 pessoas.

Entenda

Os detentos do Hospital de Custódia André Teixeira Lima fizeram um motim na unidade e alguns conseguiram fugir. Os presos incendiaram pelo menos três pavilhões. De incício, o Corpo de Bombeiros não tinha recebido autorização para iniciar o combate ao fogo porque os agentes penitenciários estavam fazendo a recontagem dos detentos, o que atrasou o controle do fogo.

O Hospital de Custódia André Teixeira Lima é destinado ao tratamento psiquiátrico de detentos, dos sexos masculino e feminino, que cumprem pena em regime fechado e semiaberto. Também há presos provisórios e em medida de segurança. De acordo com a SAP, em contagem feita no último dia 13, havia 523 internos na unidade, que tem capacidade para 594 pessoas.

E mais:  Aos 31 anos, secretário de Turismo do Recife é encontrado morto

No dia 29 de setembro, 470 presos fugiram do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) da cidade de Jardinópolis (SP) quando passavam por uma revista de rotina.

*Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

      Mostrar mais