Tamanho do texto

Investigações revelam esquema no envio de mercadorias pelos Correios que pode ter gerado um prejuízo de até R$147 milhões aos cofres da estatal

Mercadoria apreendida pela Polícia Federal em Operação Mala Direta deflagrada nesta sexta-feira (14) em São Paulo
SCSPF-SP - 14.10.2016
Mercadoria apreendida pela Polícia Federal em Operação Mala Direta deflagrada nesta sexta-feira (14) em São Paulo


A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (14), em São Paulo, a Operação Mala Direta, com o objetivo de desarticular esquema de fraudes no envio de mercadorias pelos Correios que pode ter gerado um prejuízo de R$ 147 milhões aos cofres da estatal. 

LEIA MAIS:  Lula questiona MPF e compartilha vídeo de palestra que "não teria existido"

Ao todo, foram cumpridos nove mandados de prisão pela PF , três mandados de condução coercitiva e 19 mandados de busca e apreensão na capital e na Grande São Paulo.

As investigações teriam começado em junho de 2015, depois que a área de segurança da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (EBCT) denunciou um sistema paralelo e clandestino de postagens de boletos, revistas e malas diretas, usando a estrutura dos Correios, mas desviando os valores para outras empresas de transporte de encomendas postais.

LEIA MAIS:  Lula se torna réu pela terceira vez na Lava Jato

Segundo a investigação, que contou com apoio integral da EBCT,  a fraude começava na recepção das correspondências e encomendas com um sistema semelhante ao padrão. Os funcionários envolvidos e as empresas fraudadoras adulteravam, então, as pesagens.

"[Os funcionários] suprimiam listas de faturamento, inseriam dados falsos nos sistemas de informações e ainda adicionavam as cargas clandestinas na distribuição dos Correios”, informou a PF, por meio de nota.

Em requerimento enviado nesta sexta-feira à Justiça, a PF bloqueou todos os bens dos investigados. Eles responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de corrupção passiva, corrupção ativa e associação criminosa, com penas que variam de 1 a 12 anos de prisão.

Selos apreendidos pela Polícia Federal na Operação Mala Direta que teria gerado prejuízo de R$157 milhões à estatal
SCSPF-SP - 14.10.2016
Selos apreendidos pela Polícia Federal na Operação Mala Direta que teria gerado prejuízo de R$157 milhões à estatal


Correios

Por meio de nota, os Correios informaram que a própria empresa enviou à Polícia Federal as informações sobre possíveis irregularidades em postagens de boletos, revistas e malas diretas.

LEIA MAIS:  Proposta que obriga a divulgação de dados do Bolsa Família avança na Câmara

"Tais informações deram início às investigações da PF, que culminaram na operação realizada esta manhã. A empresa continua aprimorando seus processos de controle contra ilícitos postais e segue colaborando com as investigações", assegura a empresa.

* Com informações da Agência Brasil