Tamanho do texto

Aqueles que mantiverem uso de papel após o período para implantação dos prontuários eletrônicos terão recursos do Ministérios da Saúde bloqueados

Histórico e dados dos pacientes vão ficar disponíveis para todos os serviços de saúde da cidade e também para o paciente
Valdecir Galor/SMCS
Histórico e dados dos pacientes vão ficar disponíveis para todos os serviços de saúde da cidade e também para o paciente

O Ministério da Saúde anunciou nesta quinta-feira (6) que todos os municípios do País deverão adotar prontuários eletrônicos em suas unidades básicas do Sistema Único de Saúde (SUS) até dezembro deste ano.

LEIA MAIS:  São Paulo inaugura 1ª Unidade Básica de Saúde com prontuário eletrônico

O objetivo é que o histórico, as datas de consultas, os dados e resultados de exames dos pacientes fiquem disponíveis para todos os serviços de saúde da cidade e também para o paciente. Além disso, a pasta quer monitorar como o dinheiro destinado ao SUS está sendo investido.

“O prontuário vai nos permitir eficiência, transparência, economia, como na consulta a exames e na oferta de medicamentos, e permitirá que o cidadão seja o fiscal do Sistema Único de Saúde. Até 10 de dezembro, já deveremos ter mais de 50% dos brasileiros com seu atendimento verificado no sistema de controle do Ministério da Saúde”, afirmou o ministro Ricardo Barros.

LEIA MAIS:  Jovem tenta fazer exame de saúde no SUS e descobre que está "morta"

Bloqueio de investimento

De acordo com o ministério, 76% das unidades básicas de saúde do País ainda registram o histórico do paciente em papel. Aqueles que mantiverem essa prática após o período para implantação dos prontuários eletrônicos terão recursos bloqueados. A pasta vai deixar de realizar o pagamento do chamado PAB Variável, equivalente a R$ 10 bilhões por ano para atendimentos de pediatria e aqueles vinculados a programas como Saúde da Família e Brasil Sorridente.

LEIA MAIS:  Para ministro, planos de saúde populares podem aliviar gastos com o SUS

Ao todo, são 41.688 unidades básicas em 5.506 municípios, sendo que apenas 10.134 – 106,98 milhões de pessoas – com prontuário eletrônico.

Novo aplicativo também poderá substituir as fichas de papel usadas durante visitas domiciliares
Everson Bressan/SMCS
Novo aplicativo também poderá substituir as fichas de papel usadas durante visitas domiciliares


Visitas domiciliares

Nesta quinta-feira, também foi lançado um aplicativo para uso dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS), de Controle de Endemias (ACE) e demais profissionais de saúde da Atenção Básica do SUS. A ferramenta poderá substituir as fichas de papel usadas durante visitas domiciliares.