Tamanho do texto

Outros seis presos pela Polícia Federal na Operação Hashtag conseguiram neste sábado a autorização para responder às acusações do MP em liberdade

Grupo foi descoberto a partir de um relatório do FBI americano sobre brasileiros envolvidos com células terroristas
Reprodução
Grupo foi descoberto a partir de um relatório do FBI americano sobre brasileiros envolvidos com células terroristas

A Justiça Federal do Paraná prorrogou neste sábado (17) a prisão preventiva de oito pessoas indiciadas por associação ao terrorismo. Outras seis pessoas que haviam sido presas pela Polícia Federal na Operação Hashtag obtiveram o direito de responder ao processo em liberdade.

Duas pessoas deixaram a Penitenciária Federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, na manhã deste sábado, usando tornozeleiras eletrônicas. Os dois acusados de associação ao terrorismo foram direto para o aeroporto da cidade, um para embarcar para São Paulo e o outro para o Ceará, conforme noticiado pela GloboNews. Mais três pessoas devem ser liberadas neste domingo (18). 

LEIA TAMBÉM:  Estado Islâmico planejou ataques no Brasil, afirma agência francesa

O grupo foi detido em julho, antes da realização dos Jogos Olímpicos Rio 2016, após serem identificadas trocas de mensagens com apologia ao terrorismo e ao grupo Estado Islâmico.

Sete dos indiciados que permanecerão presos tiveram a prisão prorrogada por cinco dias. Já o oitavo, Isac Pinheiro dos Santos, teve a prisão prorrogada por 30 dias.

Denúncia

O MPF acusa Alisson Luan de Oliveira, Leonid El Kadre de Melo, Oziris Moris Lundi dos Santos Azevedo, Israel Pedra Mesquita, Levi Ribeiro Fernandes de Jesus, Hortêncio Yoshitake, Luís Gustavo de Oliveira e Fernando Pinheiro Cabral dos crimes de promoção de organização terrorista (Estado Islâmico) e associação criminosa. Cinco dos denunciados também vão responder por incentivo de crianças e adolescentes à prática criminosa.

LEIA TAMBÉM:  MPF denuncia oito suspeitos de envolvimento com grupos terroristas

Segundo o MPF, o grupo foi descoberto a partir de um relatório do FBI americano sobre brasileiros envolvidos com células terroristas. A partir desse documento, a Polícia Federal monitorou os envolvidos através de quebra de sigilo telefônico, rastreamento de redes sociais e acompanhamento de conversas trocadas em aplicativos de comunicação.

A Operação Hashtag, de combate ao terrorismo, foi deflagrada pela primeira vez no dia 21 de julho. Nas três primeiras fases, 15 pessoas foram presas em nove Estados brasileiros e encaminhadas à Penitenciária Federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. No último dia 6, a quarta fase da operação cumpriu dois mandados de condução coercitiva e dois de busca e apreensão em São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.