Tamanho do texto

Iuri Martins Pereira Alcântara foi assassinado no centro de Niterói, enquanto Marcos Vinícius de Oliveira Leite, morto na zona oeste da capital fluminense

Estadão Conteúdo

Casos ocorreram em diferentes locais do Estado do Rio de Janeiro: um deles na zona oeste carioca e o outro em Niterói
Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas
Casos ocorreram em diferentes locais do Estado do Rio de Janeiro: um deles na zona oeste carioca e o outro em Niterói

Dois motoristas do aplicativo de carona paga Uber foram assassinados no fim de semana no Rio de Janeiro. Iuri Martins Pereira Alcântara, de 24 anos, foi morto no centro de Niterói, Grande Rio, na noite de sábado (20), enquanto Marcos Vinícius de Oliveira Leite, de 42 anos, assassinado a tiros em Campinho, na zona oeste carioca. De acordo com a investigação, os crimes não têm ligação.

LEIA MAIS: Confusão entre taxistas e motoristas do Uber no Rio vai parar na delegacia

Dias antes de ser morto, Alcântara se envolveu em uma discussão com um motorista de vans na quinta-feira (18), após ter parado seu veículo no local usado como ponto pelos motoristas. Na noite de sábado, ele estava em um bar quando foi abordado por Mayk Frem dos Santos, de 38 anos, que lhe perguntou se havia estacionado seu carro novamente no ponto. Diante da confirmação do profissional do aplicativo, Santos atirou. O delegado Tiago Dorigo, da Delegacia de Homicídios de Niterói, pediu a prisão preventiva do autor, que ainda estava foragido até a noite desta segunda-feira (22).

LEIA MAIS: Após táxis, Uber agora enfrenta os próprios motoristas do serviço no Brasil

Na madrugada de domingo, Marcos Vinícius de Oliveira Leite ligou para casa e avisou que estava voltando de uma corrida ao Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste. Como demorou, a família procurou a polícia. O corpo do motorista foi encontrado dentro de seu carro, com marcas de tiros. Desempregado havia três meses, o ex-mecânico havia começado a dirigir para a Uber recentemente. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital.

LEIA MAIS:  Prefeitura do Rio ameaça cassar alvará de taxistas por protesto contra Uber