Tamanho do texto

Passeata foi dispersada com bombas de gás e de efeito moral; conflito ocorreu por volta das 18h na Praça Afonso Pena, na zona norte do Rio

Agência Brasil

Policiais militares e manifestantes entraram em confronto ao fim de ato contra a realização dos Jogos Olímpicos no Rio
Ellan Lustosa/Código19/Estadão Conteúdo - 5.8.16
Policiais militares e manifestantes entraram em confronto ao fim de ato contra a realização dos Jogos Olímpicos no Rio

Um protesto contra os Jogos Olímpicos terminou em violência e confusão entre manifestantes e policiais militares, na Tijuca, zona norte do Rio, nesta sexta-feira (5). A passeata, que transcorreu pacífica durante todo o trajeto, foi dispersada com bombas de gás e de efeito moral, na Praça Afonso Pena, onde os manifestantes haviam parado, nas proximidades do Estádio Maracanã.

LEIA MAIS:  Terroristas lançam "sugestões" de atentados no dia da abertura da Olimpíada

O conflito ocorreu por volta das 18h, quando a praça estava lotada de famílias, a maioria com bebês e crianças pequenas, que brincavam no local, tradicional ponto de recreação do bairro. O acirramento aconteceu após um grupo de jovens manifestantes, alguns com o rosto coberto, terem incendiado uma bandeira do Brasil, com a qual saíram correndo, imitando uma tocha.

LEIA MAIS: Violência dispara no Rio de Janeiro às vésperas dos Jogos Olímpicos

O Batalhão de Choque avançou sobre os manifestantes e começou a disparar diversas bombas de gás lacrimogêneo, provocando uma correria na praça, com pais tentando proteger os filhos dos efeitos do gás, o que gerou revolta nas pessoas, a maioria moradora das redondezas e que não participavam do protesto.

LEIA MAIS: Suspeita de bomba próxima a aeroporto causa transtornos no Rio

Algumas pessoas passaram mal e chegaram a desmaiar, sendo atendidas por voluntários da Cruz Vermelha que acompanhavam a manifestação para dar suporte. A estação de metrô que funciona na praça chegou a fechar as portas como medida de segurança. A cena foi monitorada do alto o tempo todo por um helicóptero da PM.

Alguma pessoas passaram mal devido ao gás lacrimogênico utilizado pela polícia para afastar os manifestantes
Ellan Lustosa/Código19/Estadão Conteúdo - 5.8.16
Alguma pessoas passaram mal devido ao gás lacrimogênico utilizado pela polícia para afastar os manifestantes