Tamanho do texto

Estado já registrou pelo menos 109 ataques criminosos em represália à instalação de bloqueadores de sinal de celulares em presídios estaduais

Estadão Conteúdo

Detentos do Presídio de Parnamirim são suspeitos de envolvimento nos ataques no Estado do Rio Grande do Norte
Estadão Conteúdo/Adriano Abreu - 1.8.16
Detentos do Presídio de Parnamirim são suspeitos de envolvimento nos ataques no Estado do Rio Grande do Norte

Um total de 21 detentos do Presídio de Parnamirim suspeitos de envolvimento nos ataques no Estado do Rio Grande do Norte  estão sendo transferidos nesta sexta-feira (5) para presídios federais em Porto Velho (RO), Catanduvas (PR) e Campo Grande (MS).

O Estado já registrou pelo menos 109 atentados , segundo balanço oficial – 63 incêndios, 31 tentativas de incêndio, sete disparos contra prédios públicos, quatro ataques explosivos e quatro depredações, envolvendo 38 cidades.

LEIA MAIS:  Estados não podem obrigar operadoras a bloquear sinal em prisões, diz STF

Os ataques são uma represália de bandidos à instalação de bloqueadores de telefones celulares nos presídios do Estado. Nesta quinta-feira (4), de acordo com a Secretaria da Cidadania e Justiça, detentos do Presídio de Parnamirim tentaram incendiar um desses equipamentos, colocando fogo em colchões empilhados próximos do muro onde estão os bloqueadores. A penitenciária é a única até agora a receber o aparelho.