Tamanho do texto

Para conter violência, Estado recebeu 1,2 mil agentes das Forças Armadas, mas sete ataques e um motim no Presídio de Parnamirim foram registrados

As ruas do Rio Grande do Norte voltaram a ser alvo de uma  série de ataques na madrugada desta quinta-feira (4)
Adriano Abreu/Estadão Conteúdo - 30.07.2016
As ruas do Rio Grande do Norte voltaram a ser alvo de uma série de ataques na madrugada desta quinta-feira (4)


O patrulhamento das Forças Armadas  no combate à onda de violência no Rio Grande do Norte começou na noite dessa quarta-feira (3), mas a primeira madrugada com a segurança reforçada não impediu que sete novos ataques na capital e nas cidades do interior do Estado fossem registrados. Durante a madrugada desta quinta-feira (4), veículos foram queimados e um posto da Polícia Militar foi atacado.

LEIA MAIS: "Perdi tudo": ataques deixam rastro de destruição no Rio Grande do Norte

Na tentativa de danificar os bloqueadores de sinal de celular instalados nos presídios estaduais  – medida considerada causadora da onda de violência no Rio Grande do Norte – detentos organizaram um motim na Penitenciária Estadual de Parnamirim. De acordo com a Secretaria Estadual de Cidadania e Justiça, eles incendiaram colchões ao lado ao muro onde foram instalados os equipamentos. 

Detalhes

Na cidade de Governador Dix-Sept Rosado, na região oeste do Estado, três ônibus escolares foram incendiados durante a madrugada. Já em Mossoró, também na região oeste, um carro estava estacionado em frente à Delegacia Especializada em Furtos e Roubos, no bairro de Abolição IV, quando foi queimado. Logo depois, quatro homens foram presos em flagrante, tentando incendiar um posto da Polícia Militar na cidade.

Na manhã desta quinta-feira, os ônibus começaram a operar às 5h30 ainda com a frota reduzida. Na última segunda-feira (1º), o sindicato das empresas de transporte público do Rio Grande do Norte havia informado que, com a chegada dos militares das Forças Armadas, os veículos circulariam normalmente, com a frota completa.

Para conter violência, o Estado recebeu 1,2 mil agentes das Forças Armadas que farão patrulhamento ofensivo
Tomaz Silva/Agência Brasil
Para conter violência, o Estado recebeu 1,2 mil agentes das Forças Armadas que farão patrulhamento ofensivo


Entenda o caso

Desde última sexta-feira (29), foram registrados 104 atentados em 34 cidades diferentes. Desde então, 100 pessoas foram presas acusadas de envolvimento nos ataques. A polícia acredita que a onda de violência tenha sido despertada pela instalação de aparelhos bloqueadores de sinal de celular nos presídios estaduais.

Para reforçar a segurança e conter os ataques, o governo federal autorizou o envio de 1,2 mil agentes das Forças Armadas , que começaram a chegar no Rio Grande do Norte na última terça-feira (2). De acordo com a Secretaria Estadual de Segurança Pública, o efetivo foi orientado a fazer patrulhamento ostensivo e não entrar em confrontos.

 *Com informações do Estadão Conteúdo

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.