Tamanho do texto

Policiais cumprem 47 mandados de prisão; delegado titular da Delegacia de Combate às Drogas foi ferido no ombro e atingido por uma segunda bala que parou no colete; outros dois supostos criminosos também foram feridos

Agentes das polícias Civil e Militar cumprem 47 mandados de prisão no Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro
Bento Fabio / Voz da Comunidade
Agentes das polícias Civil e Militar cumprem 47 mandados de prisão no Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro

As polícias Civil e Militar prenderam nesta quarta-feira (3) 21 pessoas envolvidas com o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro. A Operação Germânia envolve 500 policiais e deve se estender por todo o dia. Os policiais cumprem 47 mandados de prisão.

Segundo o titular da 45ª Delegacia de Polícia (Alemão), Fábio Asty, a operação começou em agosto do ano passado, quando policiais se infiltraram na comunidade para recolher informações sobre o esquema de drogas e compra de armas. 13 dos 47 alvos dos mandados de prisão já estavam sob cárcere, mas coordenavam e agiam na comunidade mesmo de dentro do presídio. 

LEIA MAIS:  Violência dispara no Rio de Janeiro às vésperas dos Jogos Olímpicos

"Essa é uma operação importante, pois os policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) daquela região têm sofrido com muitos ataques nos últimos meses. Então, para prevenir algo ainda pior, decidimos agir no dia de hoje", afirmou.

Delegado ferido

Asty disse que já esperava que algum policial fosse ferido na operação e declarou que a ação foi exitosa. Na ação, o delegado titular da Delegacia de Combate às Drogas, Felipe Curi, foi ferido no ombro e atingido por uma segunda bala que parou no colete. A bala atravessou o ombro de Curi, mas ele passa bem.

"A polícia tem sofrido constantes ataques no Complexo do Alemão por causa das UPPs. Sofremos ataques diários em todos os momentos que estamos fazendo o nosso trabalho. E hoje não foi diferente. Nós já esperávamos isso. Tivemos bastante resistência", disse. 

Delegado titular da Delegacia de Combate às Drogas, Felipe Curi, foi ferido no ombro e atingido por uma segunda bala
Bruno Itan/ Coletivo Alemão
Delegado titular da Delegacia de Combate às Drogas, Felipe Curi, foi ferido no ombro e atingido por uma segunda bala

Procurado pela reportagem, o delegado Curi disse por telefone estar em casa e afirmou passar bem. "Graças a Deus", disse várias vezes. Dois supostos criminosos também foram feridos. 

O policial negou que a ação, a dois dias da abertura da Olimpíada, possa trazer algum clima de tensão na cidade e afirmou que a operação não teve a ver com os Jogos. "A operação foi feita isolada, só no complexo. Pelo contrário, a operação vai trazer uma sensação de calmaria inclusive para a população que mora no local."

LEIA MAIS:  Igreja Católica teme atentado contra o Cristo durante os Jogos Rio 2016

Segundo Asty, o objetivo da ação foi preventivo, "para evitar que o aumento da resistência contra as forças de pacificação pudesse tomar um potencial que atingisse não só o trabalho dos policiais das UPPs como os moradores". "Esperamos ter agora, com essas apreensões de drogas, armas e as lideranças presas, a positividade (sic) dessa ação."

O delegado também afirmou que a escolha da data da operação foi "de toda a Segurança Pública" e foi "bem planejada". "O êxito da operação demonstra isso."

Segundo apurou a reportagem, porém, policiais eram contrários à realização da ação. Um agente disse, sob anonimato, que não houve planejamento.

* Com informações da Agência Brasil e Estadão Conteúdo

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.