Tamanho do texto

Criminosos incendiaram veículos e ao menos 14 detentos fugiram de cadeia na região metropolitana da capital do RN; ações teriam sido motivadas pela instalação de bloqueadores de sinal de celular em presídios estaduais

A Polícia Militar apreendeu explosivos que seriam utilizados em supostos ataques na região de Natal neste domingo (31)
Sesed
A Polícia Militar apreendeu explosivos que seriam utilizados em supostos ataques na região de Natal neste domingo (31)


Entre o último domingo (31) e a madrugada desta segunda-feira (1º), a capital do Rio Grande do Norte, Natal, foi marcada por uma nova onda de violência e ataques, que vêm acontecendo desde a última sexta-feira (29). De acordo com o governo, essa violência seria uma resposta dos criminosos à instalação de bloqueadores de sinal de celulares em presídios da região.

LEIA MAIS:  Justiça do Rio decreta prisão de PMs acusados de torturar jovens 

Criminosos incendiaram dois veículos em uma área próxima ao Morro do Careca, um dos principais cartões postais de Natal . Na zona leste da capital do Rio Grande do Norte, em Ribeira, bandidos incendiaram três motos e dois carros no anexo da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU). Para piorar a situação, por volta da 1h, pelo menos 14 presos fugiram do Centro de Detenção Provisória (CDP), também em Ribeira. 

Um grupo ainda tentou colocar fogo no Grupamento de Busca e Salvamento do Corpo dos Bombeiros, localizado no bairro de Lagoa Seca. Os bombeiros perceberam a ação e impediram o ataque. Os suspeitos fugiram e deixaram um galão de gasolina para trás.

LEIA MAIS:  Violência dispara no Rio às vésperas dos Jogos Olímpicos

No início da manhã desta segunda-feira (1º), sob a escolta de policiais militares, parte da frota de ônibus voltou a circular. Segundo o sindicato das empresas de transporte, cerca de 50% da frota está nas ruas e a população segue prejudicada pela falta de coletivos.

Onda de ataques do final de semana teriam sido  encomendados  de dentro dos próprios presídios da região de Natal
Sesed
Onda de ataques do final de semana teriam sido encomendados de dentro dos próprios presídios da região de Natal


Mudança de Rotina

Apesar do governo tentar estabelecer uma situação de "normalidade", a população continua assustada. Diversas escolas e estabelecimentos comerciais optaram por manter as portas fechadas nesta segunda-feira (1º).

Cerca de 1,2 mil homens das tropas federais devem começar a chegar à cidade para atuar no reforço da segurança a partir desta terça-feira (2).

LEIA MAIS:  PM leva tiro de colegas durante discussão em lanchonete em SP

Até as 9h30 desta segunda-feira (1º), o governo estadual confirmou a prisão de 60 pessoas por envolvimento nos ataques. O clima em Natal e na região metropolitana ainda é de apreensão entre moradores e turistas.

*Com informações do Estadão Conteúdo