Tamanho do texto

Presença de Temer e sua mulher, Marcela, causou tumulto em escola tradicional de Brasília; pais afirmam que situação gerou "mal-estar"

Presidente em exercício, Michel Temer, e sua esposa,Marcela, chegaram por volta das 14h45 na Escola Das Nações
André Dusek/Estadão Conteúdo - 26.07.2016
Presidente em exercício, Michel Temer, e sua esposa,Marcela, chegaram por volta das 14h45 na Escola Das Nações


O presidente interino Michel Temer e sua mulher, Marcela, causaram alvoroço e tumulto ao buscar seu filho caçula em seu primeiro dia de aula na Escola das Nações, no Lago Sul, em Brasília, na tarde desta terça-feira (26).

LEIA MAIS:   "O Michel cansou de te esperar", diz Cunha em troca de mensagens com empreiteiro

Diversos pais se irritaram com a movimentação da imprensa e com o sistema de segurança montado para receber Michel Temer . “Por que vocês não vão atrás dos corruptos, ele é só uma criança”, declarou uma mãe, que não se identificou. Outra mãe que estava no local disse que a  presença do filho do presidente e o assédio "está causando mal estar". Animadas com as câmeras de TV, algumas crianças começaram a chamar a atenção e dizer que "os mais importantes estão aqui [na escola]".

LEIA MAIS:  Michel Temer recupera aliado exonerado por governo de Dilma Rousseff

A visita de Temer à escola foi anunciada pela assesoria de imprensa do Planalto. Em nota, a assessoria frisou que a mídia estaria autorizada a fazer imagens.

Michel Temer declarou que não irá buscar o filho todos os dias; visita à escola irritou outros pais nesta terça-feira (26)
André Dusek/Estadão Conteúdo - 26.07.2016
Michel Temer declarou que não irá buscar o filho todos os dias; visita à escola irritou outros pais nesta terça-feira (26)


Não será todos os dias 

Temer e sua esposa, Marcela, chegaram por volta das 14h45 à escola. O casal foi recebido pela diretora e conversou por alguns minutos na porta, quando foram fotografados pela imprensa.

LEIA MAIS:  Michel Temer libera R$ 2,7 bilhões para as administrações municipais

As aulas do segundo ano, série que estuda Michelzinho, terminam às 15 horas. Temer foi buscá-lo dentro da escola, mas aguardou na sala da diretoria para respeitar as regras da instituição que só permitem aos pais entrarem após o término da aula. 

Questionado se viria buscar Michelzinho todos os dias, Michel Temer disse: "Só hoje, só hoje". Depois que assumiu interinamente a presidência, Temer levou a família de São Paulo para Brasília e matriculou o filho em um tradicional colégio internacionalista e bilíngue da região. Antes da decisão, a família vinha sofrendo com protestos em frente à sua residência em São Paulo.


*Com informações do Estadão Conteúdo