Tamanho do texto

Idealizador do Elevado Costa e Silva (nome de presidente do período da ditadura militar) critica projeto aprovado pela Câmara Municipal de SP que prevê a mudança do nome

Elevado Costa e Silva, o Minhocão, pode ser rebatizado como Elevado Presidente João Goulart
Carlos Severo/ Fotos Públicas
Elevado Costa e Silva, o Minhocão, pode ser rebatizado como Elevado Presidente João Goulart

Idealizador do Elevado Costa e Silva quando era prefeito, o hoje deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) disse que a mudança do nome do popular Minhocão para Elevado Presidente João Goulart, aprovada na Câmara, é "preconceituosa".

Maluf evocou o líder político francês Napoleão Bonaparte para resumir seu argumento: "Há 200 anos, Napoleão já dizia: 'Povo que não tem memória não tem história'".

Para o pai do Minhocão, como o Elevado é conhecido pelos paulistanos, todos os ex-presidentes da República "merecem homenagem porque fazem parte da história" e isso inclui tanto Costa e Silva, como João Goulart.

"João Goulart merece uma homenagem, mas Costa e Silva foi presidente da República e ninguém pode apagar da história do Brasil que Costa e Silva foi presidente da República", afirmou.

O deputado defendeu a manutenção do atual nome do presidente militar no Elevado. Como alternativa, sugeriu que um viaduto em construção fosse batizado com a denominação de João Goulart.

"Todas as personalidades do Brasil e de São Paulo merecem homenagem", destacou Maluf.

Para o ex-prefeito Paulo Maluf,
Fotos Públicas
Para o ex-prefeito Paulo Maluf, "todos os ex-presidentes da República merecem homenagem"

Mudança

O projeto de lei aprovado retira a atual denominação do presidente da ditadura militar – Artur da Costa e Silva (1967-1969) – e substitui pelo presidente deposto pelos militares – João Goulart (1961-1964).

De autoria do vereador Eliseu Gabriel (PSB), o PL é de 2014. Agora, segue para sanção do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). O projeto propõe a revogação do Decreto 8.574 de 19 de dezembro de 1969, que denominou a via como Elevado Costa e Silva.

Segundo justificativa de Gabriel, o presidente do regime militar "causou violência sem precedentes na história do País" ao aprovar no final de 1968 o Ato Institucional número 5 (AI-5), decreto que dava fim a direitos civis essenciais.

O projeto foi aprovado em primeira votação no dia 8 de junho. Na ocasião, o vereador explicou ao jornal "O Estado de S. Paulo" que foi relator da Comissão da Verdade na Câmara e que uma das determinações do grupo foi retirar dos logradouros os "nomes de torturadores e pessoas que causaram crimes à comunidade".

Informalmente, o elevado é chamado de Minhocão e soma 45 anos de criação. Ao longo dos 3,4 quilômetros de extensão, percorre quatro distritos: Consolação, Santa Cecília, Perdizes e Barra Funda.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.