Tamanho do texto

Dois criminosos foram presos e dois continuam foragidos; polícia paraguaia acredita que ataque tem ligação com morte do traficante Jorge Rafaat, conhecido como "rei da fronteira"

Estadão Conteúdo

Policiamento está reforçado na fronteira entre as cidades de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero
Reprodução
Policiamento está reforçado na fronteira entre as cidades de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero


Três pessoas foram executadas na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, na fronteira com o município brasileiro de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, na noite deste domingo (19) – dentre as vítimas, uma é brasileira.

Segundo a polícia paraguaia, os crimes têm relação com a guerra entre traficantes que resultou na execução do Jorge Rafaat Toumani, conhecido como o "Rei da Fronteira", na última quarta-feira (15). As vítimas jogavam vôlei em uma quadra quando foram atacadas, por volta das 22h.

Os criminosos chegaram a bordo de uma SUV Toyota Hillux e dispararam tiros contra o grupo. O brasileiro Fabio Villalba da Silva, de 23 anos, foi atingido no peito e morreu no local. As outras duas vítimas foram identificadas como Esteban Benitez Espinoza, de 35 anos, e Nelson Benitez Espinoza, de 37, ambos paraguaios.

A polícia paraguaia prendeu dois autores dos ataques. Durante a perseguição, a Toyota usada no atentado perdeu o controle e colidiu com um bar. Outros dois fugitivos teriam passado a fronteira rumo ao Brasil.

Jorge Rafaat era conhecido como
Reprodução
Jorge Rafaat era conhecido como "rei da fronteira" e foi morto em conflito de traficantes


PCC

Com a morte de Rafaat, um brasileiro de 32 anos que tem conexão com o Primeiro Comando da Capital (PCC) seria no novo chefe do crime organizado em Pedro Juan Caballero. O homem, que usa pelo menos três identidades, é conhecido como "Gallant" e manteria conexões com o PCC de São Paulo.