Tamanho do texto

Crianças seriam naturais de países que não têm acordo de cooperação com o Brasil para doação, como Líbano e Rússia

O Dia

Delegada da PF(Palmas), Janaina Gadelha é a responsável pela Operação Fontana de Trevi
TV Anhanguera/Reprodução
Delegada da PF(Palmas), Janaina Gadelha é a responsável pela Operação Fontana de Trevi

Em operação deflagrada nessa quinta-feira (16), a Polícia Federal (PF) investiga atuação de grupo que facilita através da internet a adoção de crianças estrangeiras. A associação com sede em Palmas, Tocantins, é alvo da operação Fontana de Trevi, que tem como objetivo reprimir o tráfico internacional de crianças.

A Delegada da Polícia Federal, Janaína Gadelha informou que o grupo oferecia "bebês brancos e com aparência saudável". As investigações se iniciaram após policiais apurarem que a associação praticava a atividade criminosa através das redes sociais. As crianças seriam naturais de países que não têm acordo de cooperação com o Brasil para doação, como o Líbano, Rússia e Quirquistão.

Estão sendo cumpridos, em Palmas, cinco mandados de busca e apreensão e seis de condução coercitiva. A operação também cumpriu mandados em Ourinhos, cidade do interior de São Paulo.

A organização, que se apresentava e atuava como instituição sem fins lucrativos, alistava as famílias interessadas no processo de adoção e oferecia facilidades, mas após demonstrar o interesse era necessário efetuar pagamento de uma quantia. Segundo a própria instituição, os valores cobrados eram justificados como custos necessários apenas para a operacionalização da adoção.