Tamanho do texto

Executivo que foi indiciado é o responsável pelo complexo de Alegria, que encaminhava rejeitos para a barragem de Fundão

Investigações da PF apontaram que a Vale enviava rejeitos de Alegria para a barragem de Fundão
Douglas Magno/O Tempo/AE
Investigações da PF apontaram que a Vale enviava rejeitos de Alegria para a barragem de Fundão

A Polícia Federal anunciou nesta quinta-feira (9) o indiciamento de um funcionário da mineradora Vale dentro do inquérito que apura o rompimento da barragem da Samarco - controlada pela empresa e pela BHP Billiton. O acidente ocorreu no município de Mariana (74km da capital) no dia 5 de novembro do ano passado.

Em janeiro de 2015, a PF já havia indiciado a Vale, a Samarco, a empresa de consultoria VogBr e técnicos. Não havia, porém, funcionários da Vale na lista.

O executivo da empresa que teve indiciamento anunciado nesta quinta-feira é o responsável pelo complexo de Alegria, próximo à barragem de Fundão. A Vale enviava rejeitos para a represa, conforme as investigações da PF.

O volume de rejeitos da Vale na represa que ruiu seria de 28% do total, conforme informou nesta quinta o delegado Roger Lima, responsável pelas investigações. O inquérito ficou suspenso por cerca de dois meses para definição de competência jurídica. Na semana passada, foi decidido que a competência é da justiça federal em Ponte Nova.

Relembre em fotos a tragédia do rompimento das barragens em Mariana, no MG: