Tamanho do texto

Advogada da vítima havia pedido a mudança porque a jovem teria sido intimidada pelo delegado durante depoimentos

Estupro no Rio chocou opinião pública e mobilizou polícia
Agência Brasil
Estupro no Rio chocou opinião pública e mobilizou polícia

A Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) assumiu a coordenação das investigações do estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos, ocorrido na semana passada no Rio, segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil. “A medida visa evidenciar o caráter protetivo à menor vítima na condução da investigação, bem como afastar futuros questionamentos de parcialidade no trabalho”, explica o comunicado da Polícia Civil.

A investigação passa a ser conduzida pela delegada Cristiana Bento, no lugar de Alessandro Thiers, titular da Delegação de Repressão aos Crimes de Informação (DRCI). A mudança atende ao pedido da advogada da vítima, Eloísa Samy, que recorreu à Justiça do Rio e ao Ministério Público com o argumento de que a adolescente foi intimidada pelo delegado durante os depoimentos prestados na sexta-feira (27).

“A Delegada Cristiana está analisando as provas colhidas até o momento no inquérito policial, incluindo depoimentos e outras diligências realizadas pela Polícia Civil, definindo os próximos passos da investigação”, informa a polícia, no comunicado. Cristina já acompanhava o caso, mas não era a responsável direta pela investigação.