Tamanho do texto

Investigação afirma que ordem de ataques a coletivos partem do Complexo Penitenciário de Pedrinhas; desde quinta-feira, 14 ônibus foram incendiados e 38 pessoas acabaram presas

Agência Brasil

Agente da PM circula dentro de ônibus para fiscalizar cumprimento da rota na capital maranhense
Divulgação/Secretaria de Segurança do Maranhão - 23.05.2016
Agente da PM circula dentro de ônibus para fiscalizar cumprimento da rota na capital maranhense



Empresas de ônibus que operam em são Luís, no Maranhão, começaram a ser monitoradas nesta segunda-feira (23) por oficiais da Polícia Militar e por fiscais do Procon e da Agência de Mobilidade Urbana (MOB). O objetivo é assegurar a circulação normal do transporte público na Região Metropolitana de São Luís, que vem sofrendo ataques aos veículos ao longo dos últimos quatro dias.

Nove garagens de ônibus que servem à Região Metropolitana terão entradas e saídas dos ônibus monitoradas. Além disso, algumas frotas terão agentes policiais dentro dos coletivos. Arthur Cabral, presidente da Agência de Mobilidade Urbana, negou que a medida tem a pretensão de punir as empresas: “Nos casos de qualquer alteração na circulação da frota, entramos em contato com a direção da empresa, para que ela efetive o que estava programado para circulação,

Desde quinta-feira (19), quando os primeiros ônibus foram queimados na capital, houve 14 tentativas de ataque e 38 pessoas foram presas. Na madrugada de sexta-feira (20), a circulação de ônibus chegou a ser interrompida. No mesmo dia, mais tarde, o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão (Sttrema) informou que passaria a recolher os veículos das frotas atingidas à medida que houvessem mais ofensivas.

A determinação de fiscalizar a circulação de ônibus foi tomada em uma reunião que aconteceu no domingo (22), no Palácio dos Leões, entre o governador Flávio Dino e os presidentes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET), José Luiz Medeiros, e do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão (Sttrema), Isaías Castelo Branco.

PM, Procon e Agência de Mobilidade Urbana estão envolvidos no monitoramento dos veículos
Facebook/Reprodução
PM, Procon e Agência de Mobilidade Urbana estão envolvidos no monitoramento dos veículos

De acordo com o governador, o monitoramento direto sobre as empresas de ônibus tem como objetivo garantir a circulação normal dos coletivos, sobretudo durante a noite, período em que ocorreram a maioria dos ataques. Se for identificado recolhimento desses coletivos fora da normalidade, os fiscais poderão aplicar “medidas sancionatórias”. O presidente do SET garantiu que os ônibus circularão sem nenhuma interrupção, inclusive no período noturno com os chamados corujões.

Força Nacional
Em resposta à onda de ataques a coletivos no Maranhão, o Ministério da Justiça deferiu o pedido de auxílio da Força Nacional de Segurança para conter a violência. Os reforços serão enviados nesta segunda-feira (23)

Os reforços serão enviados nesta segunda-feira (23) e, de acordo com a assessoria de imprensa do Governo Estadual, todo o contingente policial do Estado, Civil e Militar, além do Corpo de Bombeiros, está mobilizado em resposta aos recentes ataques. O policiamento preventivo também foi intensificado.