Tamanho do texto

Justiça entendeu que não houve tentativa de homicídio e concedeu liberdade condicional a Anderson Lúcio de Oliveira

Estadão Conteúdo

Momento exato em que Fernanda é atingida no rosto por Anderson: impunidade de sempre
Reprodução
Momento exato em que Fernanda é atingida no rosto por Anderson: impunidade de sempre



O comerciante Anderson Lúcio Oliveira, comerciante que foi julgado e condenado em 2014 por ter dado uma violenta cotovelada em uma mulher após uma festa, já deixou a prisão. O jovem, que cumpria pena de cinco anos em regime semiaberto na Penitenciária II de Tremembé, conseguiu a liberdade condicional na sexta-feira (13) e, no domingo (15), voltou a trabalhar em seu bar, na cidade de São Roque, no interior paulista.

Apesar da decisão, o comerciante, de 37 anos, que não pode deixar a cidade sem autorização judicial e tem a obrigação de se apresentar à Justiça uma vez por mês. ainda aguarda o julgamento de um recurso do Ministério Público Estadual (MPE) contra a pena, considerada leve. 

O júri do caso entendeu que não houve tentativa de homicídio na cotovelada de Oliveira, como constou da denúncia, mas lesão corporal de natureza grave – a vítima teve traumatismo craniano e quase morreu. A promotoria criminal insiste na tese da tentativa de homicídio e exige a realização de um novo julgamento.

Relembre o caso:

A agressão aconteceu na noite de um sábado, em agosto de 2014. Oliveira e a auxiliar de produção Fernanda Regina Cézar, de 32 anos, haviam saído de uma festa de casamento e começaram a discutir na calçada do clube onde os festejos ocorriam. Subitamente, como mostram imagens de circuito de segurança, ele desferiu uma violenta cotovelada no rosto da mulher, que caiu no chão, desmaiada. Ele deixou o local enquanto a vítima era socorrida por outras pessoas, sem prestar qualquer ajuda.

Fernanda sofreu traumatismo craniano e ficou 15 dias internada no Hospital Regional de Sorocaba. Câmeras de segurança registraram a cena e a violência da cotovelada causou grande repercussão. O comerciante teve a prisão decretada e aguardou o julgamento preso.

Condenado por lesão corporal, Anderson cumpria pena em regime semiaberto no Tremembé
Reprodução/Facebook
Condenado por lesão corporal, Anderson cumpria pena em regime semiaberto no Tremembé