Tamanho do texto

Grupo usa carros para interditar o Corredor Norte-Sul, ameaça colegas que não aderem ao protesto e depreda carros de supostos motoristas do Uber; Segundo PM, ninguém foi preso

Veículo preto é depredado durante manifestação de taxistas no centro da capital paulista
Alex Silva/Estadão Conteúdo - 10.5.16
Veículo preto é depredado durante manifestação de taxistas no centro da capital paulista

Dezenas de taxistas bloqueiam desde as 16h da tarde desta terça-feira (10) os dois sentidos do Corredor Norte-Sul, um dos principais eixos viários da capital paulista. O grupo protesta contra o decreto do prefeito Fernando Haddad que regulamentou a utilização de aplicativos de transporte individual – como o Uber – em São Paulo.

O protesto se concentra na Avenida Prestes Maia, na saída do túnel do Anhangabaú, na região central da cidade. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o protesto já provoca congestionamento de 5,4 quilômetros entre a Ponte das Bandeiras e o Complexo Viário João Jorge Saad, no sentido da zona norte (Santana). Já no sentido sul (Aeroporto), são 3,2 quilômetros de filas, entre o mesmo complexo viário até o Viaduto João Julião da Costa Aguiar.

Desde o início do bloqueio, os taxistas abordaram diversos motoristas que trafegavam pela região: no caso de táxis, eles forçavam a adesão do condutor ao ato; já quando havia suspeita de que o motorista trabalhava para o Uber, o veículo era depredado. Até mesmo um carro da SPTrans foi alvo de tapas dos taxistas, conforme mostra o vídeo registrado pelo cinegrafista Daniel Santarcangelo. (veja abaixo)

A Polícia Militar não estimou o número de taxistas que participam do ato. Segundo a corporação, não houve prisões até as 18h45 desta tarde.

Mais cedo, um grupo de aproximadamente 50 taxistas bloqueou os acessos à Prefeitura de São Paulo. Os taxistas usavam o WhatsApp para convocar colegas a participarem do protesto.

O principal alvo dos manifestantes era o prefeito Fernando Haddad (PT), que foi xingado em coro.

Presente no protesto, o vereador Adilson Amadeu (PTB) disse que o decreto, que ele ainda não havia lido, "detonava" a categoria. "O prefeito está passando por cima da Câmara", declarou.

Ao elaborar o decreto, Haddad se baseou em uma liminar da Justiça que atribuiu ao poder Executivo a autoridade de regulamentar o tema.

Alguns motoboys que tentavam, desmontados da moto, furar o bloqueio dos taxistas em frente à sede da prefeitura, foram cercados pelos manifestantes.

*Vídeo de Daniniel Santarcangelo Dandone Rocha. (Com informações da Agência Brasil e do Estadão Conteúdo)

Taxistas realizam protesto em frente ao prédio da Prefeitura de São Paulo, no Viaduto do Chá, centro da cidade, como protesto contra liberação do aplicativo Uber pelo pre
Marcio Fernandes/Estadão Conteúdo - 10.05.16
Taxistas realizam protesto em frente ao prédio da Prefeitura de São Paulo, no Viaduto do Chá, centro da cidade, como protesto contra liberação do aplicativo Uber pelo pre