Tamanho do texto

Somente na segunda-feira, choveu 22,5% do volume esperado para fevereiro, historicamente um dos mais chuvosos meses

Agência Brasil

Avenida Rubem Berta foi uma das vias mais afetadas pelo forte temporal de segunda-feira (15)
Renato S. Cerqueira/Futura Press
Avenida Rubem Berta foi uma das vias mais afetadas pelo forte temporal de segunda-feira (15)

Um dia após São Paulo ter registrado seu pior temporal dos últimos cinco meses, na segunda-feira (15), a cidade deve voltar a ser atingida por fortes chuvas nesta terça (16), o que mais uma vez deve gerar alagamentos, transbordamentos de córregos e fatalidades. Em São Caetano, no Grande ABC, um jovem morreu arrastado pelas enxurradas.  

Com volume de água acumulado em 48,6 milímetros (mm) de chuva, o temporal que abriu a semana foi o mais violento na cidade desde 8 de setembro do ano passado. O volume total foi 22,5% do esperado para todo o mês de fevereiro, um dos mais chuvosos do ano na região, de acordo com a média histórica do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE).

Meteorologistas do CGE explicam que um sistema frontal do Oceano contribuiu para as áreas de instabilidade, que, unidas ao calor e à disponibilidade de umidade na atmosfera, causaram rajadas de vento e descargas elétricas.

Os maiores índices pluviométricos foram observados nos bairros de São Mateus (85 mm), Aricanduva (83 mm), Butantã (72 mm), Vila Mariana (67,2 mm) e Jabaquara (66 mm).

Para esta terça-feira (16), a previsão é de que uma frente fria no litoral da Região Sudeste contribua para a formação de áreas de instabilidade, que deixam o tempo instável na Grande São Paulo.

As chuvas mais significativas são esperadas para o período da tarde e início da noite, com potencial para alagamentos, rajadas de vento e deslizamentos de terra em áreas de risco. O tempo continua instável na quinta-feira (17).

Veja imagens do temporal de segunda-feira: