Tamanho do texto

Realizada um dia depois de Justiça liberar Uber, operação da Polícia Civil bloqueou 16 pontos com o objetivo de evitar novos casos de agressão contra motoristas na capital paulista

Agente da Polícia Civil revista porta-malas de táxi em movimentada avenida, na quarta-feira
SSP-SP/Divulgação - 03.02.2016
Agente da Polícia Civil revista porta-malas de táxi em movimentada avenida, na quarta-feira

Em meio à guerra declarada por taxistas contra motoristas do Uber, a Polícia Civil deteve taxistas com uma grande variedade de armas brancas, como facas e canivetes, em operação realizada na noite de quarta-feira (3), na capital paulista. A ação ocorreu um dia depois de a Justiça liberar o uso do aplicativo em São Paulo.

Deflagrada em 16 pontos da cidade, a operação teve como saldo a detenção de três taxistas, que precisaram assinar termos circunstanciados por porte de facas, canivetes, além de uma barra de ferro e um pedaço de madeira.

A suspeita é que os objetos pudessem ser utilizados para agredir motoristas do Uber, prática que vem se tornando cada vez mais comum e que acabou por influenciar a Justiça na decisão de liberar o app, proibido na cidade desde outubro, após sanção de projeto de lei ser assinada pelo prefeito Fernando Haddad.

Além de taxistas, a polícia afirma ter parado todos os motoristas do Uber na operação. Dois passageiros de um táxi foram presos por furto após serem encontrados em sua mochila carteira e documentos furtados horas antes. 

Uber e táxi parados lado a lado durante blitz policial para buscar por armas e objetos ilegais
SSP-SP/Divulgação - 03.02.2016
Uber e táxi parados lado a lado durante blitz policial para buscar por armas e objetos ilegais


    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.