Tamanho do texto

Secretaria de Saúde do Amazonas afirma que investigará o caso, ocorrido na cidade de Jutaí; um dos bebês morreu

Agência Brasil

Imagem mostra como a falta de estrutura levou um dos bebês (à esquerda) a ser tratado
Reprodução
Imagem mostra como a falta de estrutura levou um dos bebês (à esquerda) a ser tratado

Um hospital de uma cidade no interior do Estado do Amazonas usou garrafas pet em dois bebês como forma de substituir máscaras de oxigênio, em falta no local, na semana passada – fato flagrado em fotos divulgadas na web. Uma das crianças morreu.

A Secretaria de Saúde do Amazonas informou, nesta segunda-feira (1º), que vai investigar o caso, ocorrido na semana passada, no Hospital de Jutaí, instituição localizada na cidade homônima de apenas 16 mil habitantes. Uma das crianças morreu.

Em nota, a secretaria disse que não foi acionada pela unidade de saúde para receber as orientações necessárias. O órgão afirma ter entrado em contato com a direção do hospital ter recebido a informação de que o casal de gêmeos registrado nas imagens nasceu prematuro, com 7 meses, e que a menina tinha um quadro pulmonar mais debilitado.

A direção da instituição declarou que “a falta da máscara de venturi – que não estava disponível na unidade e que foi substituída pelo material improvisado de garrafa pet – não teria contribuído para o óbito do bebê”.

O menino, que foi submetido aos mesmos procedimentos da irmã, recebeu alta. Uma equipe da Secretaria-Adjunta de Atenção Especializada do Interior foi à cidade hoje para investigar o caso e adotar as medidas cabíveis.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.