Tamanho do texto

Criminosos usaram artefato falso para ameaçar vítima de sequestro-relâmpago; grupo deixou "instruções" antes de fugir

Cemitério Vila Assunção, em Santo André, foi isolado nesta sexta devido à ameaça de bomba
Reprodução/Google Maps
Cemitério Vila Assunção, em Santo André, foi isolado nesta sexta devido à ameaça de bomba

Um grupo de criminosos usou um explosivo falso para ameaçar e extorquir um empresário no início da tarde desta sexta-feira (18) em Santo André, na Grande São Paulo.

O homem de 59 anos de idade, que não teve a identidade revelada, contou à polícia que foi abordado por quatro indivíduos que entraram em seu carro e, após agressões, teriam amarrado um artefato em volta de seu pescoço, dizendo que se tratava de uma bomba.

Após o grupo circular pela cidade com a vítima ao volante, a quadrilha liberou o empresário deixando uma série de papéis que serviriam como "instruções" para a vítima. 

Entre as orientações, havia ordens para que o motorista não deixasse o motor do carro morrer e para que ele atendesse ligações de "desconhecido" e "Viva Democracia". Em outro trecho do documento, havia a mensagem: "Não tente sair do carro em nenhum momento. Temos controle via rádio com o artefato explosivo".

O homem decidiu dirigir até o cemitério Vila Assunção, onde pediu ajuda aos funcionários para que a polícia fosse acionada.

O cemitério foi evacuado por volta do meio-dia e o Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) e o Esquadrão de Bombas da Polícia Militar enviaram equipes até lá para averiguar o suposto explosivo, que era falso. 

A vítima foi levada com ferimentos na boca e queimaduras na mão ao Pronto Socorro do Hospital Brasil.

As instruções encontradas com o homem foram apreendidas e encaminhadas à perícia, assim como o artefato que simulava uma bomba. O caso será encaminhado ao 1º Distrito Policial de Santo André.