Tamanho do texto

Fenômeno foi visto na madrugada desta sexta. Organização diz se tratar de um meteoro com brilho 'maior que a lua cheia'

Câmeras do Exoss Citizen Science registraram passagem de meteoro no litoral da região Sudeste nesta sexta 916)
Reprodução/Exoss Citizen Science - 16.10.15
Câmeras do Exoss Citizen Science registraram passagem de meteoro no litoral da região Sudeste nesta sexta 916)

"Um clarão azul", "uma bola em chamas', "uma explosão"' foram algumas das explicações para o fenômeno que durou poucos segundos e foi registrado na madrugada desta sexta-feira (16) no céu do Rio, intrigando muitos cariocas que o presenciaram.

Segundo Marcelo De Cicco, pesquisador do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e astrônomo que coordena o Exoss Citizen Science, a forte luz que cortou o estado era um meteoro.

A Exoss Citizen Science faz o monitoramento de bólidos (meteoros) nos céus do Brasil. De Cicco disse que mexia nas câmeras em sua base em Petrópolis, na Região Serrana, quando começou o fenômeno. "Foi por volta das 2h da manhã e eu estava fazendo ajustes na câmera quando o céu começou a iluminar e na hora percebi que era um bólido" contou.

Pelo menos duas câmeras da organização em São Paulo e uma no norte do Rio registraram o meteoro. De acordo com a organização, às 01h59 o grande meteoro cruzou o oceano em direção ao estado do Rio de Janeiro e seu clarão no céu foi percebido em diversos estados da região sudeste do país.

O astrônomo pediu que as pessoas que gravaram ou fotografaram o que está sendo chamado de "superbólido", por conta de sua possível grande magnitude, que acessem www.press.exoss.org e façam o relato. "Pedimos que as pessoas enviem as imagens para analisarmos a trajetória e sabermos de onde veio. Nossa rede é participativa, será de um valor enorme", disse.

Um corpo técnico da organização irá analisar o fenômeno nos próximos dias, mas os dados preliminares indicam um brilho intenso, bem maior que a lua cheia e uma trajetória superior a 150km sobre os céus do litoral sudeste do país. A passagem do meteoro durou cerca de 5 segundos até que ele se desintegrou sobre a atmosfera terrestre.

Ainda não é possível dimensionar o tamanho do meteoro ou deteminar se ele atingiu o solo terrestre. "Um corpo desse, dando um chute, teria em torno de 5 a 10 quilos, não é algo grandioso. Com a velocidade, causa este impacto luminoso e pode atingir de 50 mil a 80 mil km/hora", explicou De Cicco antes da divulgação de dados mais consistentes. Segundo o especialista, os meteoros são fósseis da época da formação do sistema solar. 

Um vigilante da Unirio relatou à reportagem do O Dia que estava de serviço durante a madrugada disse ter presenciado o fenômeno. "Passou por cima da universidade. Era uma bola azul e fez o maior clarão", relatou. Nas redes sociais, o assunto é bastante comentado. "Eu vi!!!! Que coisa mais linda, iluminou tudo!!!", disse uma internauta. 

Confira abaixo as imagens captadas pelas câmeras do Exoss Citizen Science:


    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.